Enivaldo critica tratamento ‘esquisito’ de RC com aliados e revela preferência por Cássio

Enivaldo critica tratamento ‘esquisito’ de RC com aliados e revela preferência por Cássio

O presidente estadual do Partido Progressista, Enivaldo Ribeiro, não descartou a postulação de seu filho, o deputado federal Aguinaldo Ribeiro, ao Senado Federal.

De acordo com Enivaldo, a participação de Aguinaldo Ribeiro na chapa majoritária dependerá de uma conversa que o parlamentar terá com a presidente Dilma Rousseff (PT) até o final da próxima semana.

Ao descartar uma composição com o PMDB, ele explicou que só resta ao PP se aliar ao governador Ricardo Coutinho (PSB) ou ao senador Cássio Cunha Lima (PSDB), que não apoiam a reeleição de Dilma ao Palácio do Planalto. “A presidente foi extremamente correta com Aguinaldo, destinou muitos recursos para a Paraíba e nada mais justo do que pedir o aval dela para uma participação do PP na chapa majoritária de um aliado de Aécio ou de Eduardo Campos”, justificou.

Enivaldo voltou a tecer duras críticas ao ex-prefeito de Campina Grande e pré-candidato a governador, Veneziano Vital do Rego, ao afirmar que o peemedebista “não é uma pessoa de confiança”.

O presidente estadual do PP lembrou que tempos atrás, Veneziano ‘detonava’ o Partido dos Trabalhadores em Campina Grande e agora quer o apoio da legenda. “A gente vê uma relação muito conturbada entre o PMDB e o PT na Paraíba e acredito que muitos petistas não irão votar em Veneziano”, disse.

Enivaldo também revelou indisposição de se aliar ao governador Ricardo Coutinho e atribuiu o fato a sua dificuldade de relacionamento com o socialista devido à postura dele com os aliados. “O governador não trata bem nem quem trabalha com ele, imagina as outras pessoas. É um comportamento no mínimo esquisito”, avaliou.

O ex-deputado federal afirmou ainda que, “por eliminação”, prefere apoiar a pré-candidatura do senador Cássio Cunha Lima ao governo do estado. “O tratamento de Cássio é diferente.  Aguinaldo foi secretário dele, eu também já fui, mas isso não quer dizer que a aliança já está consolidada”, afirmou ao apostar que até o final de junho muitas novidades irão acontecer no cenário político paraibano.