Encher o tanque do veículo danifica o motor, diz estudo

Encher o tanque do veículo danifica o motor, diz estudo

Pouca gente sabe, mas, o tradicional hábito de alguns motoristas e também dos frentistas dos postos de combustíveis de encher o tanque até a “boca”, pode afetar não apenas a vida útil do motor do veículo, mas, também a saúde da população. Isto porque, quando a bomba trava significa que o tanque está cheio e passando desse limite, o filtro instalado na entrada fica inundado e não consegue filtrar todo o vapor que passa por ele, contribuindo para a eliminação de alguns elementos, tais como o benzeno, que tanto danifica o motor do carro, como polui o meio ambiente, comprometendo, desta forma, até a saúde das pessoas.

Ao tomar conhecimento de um estudo feito pela Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho (Fundacentro), que mostrou como o benzeno (substância encontrada na gasolina capaz de aumentar a octanagem) pode ser prejudicial à saúde e ao meio ambiente e que simples medidas, como impedir o abastecimento exagerado do tanque de combustível, podem contribuir com uma vida mais saudável, o deputado estadual, Artur Filho, vai propor, através de um Projeto de Lei, a proibição, no âmbito do Estado da Paraíba, do preenchimento do tanque de combustível dos veículos após o travamento automático de segurança da bomba de abastecimento.

“Essa simples medida, que requer apenas atenção dos frentistas, reduz a eliminação de gases nocivos no meio ambiente, preservando à saúde das pessoas e dos próprios profissionais que atuam neste setor”, argumenta o parlamentar que espera contar com o apoio dos demais deputados paraibanos para aprovar sua proposta que já foi adotada em outros locais do país, a exemplo de Santa Catarina, Rio de Janeiro e na Câmara Legislativa do Distrito Federal, que já dispõem de legislação específica sobre esse assunto.

 

 

 

 

Uol