Empresa de paraibano pagou R$ 300 mil ao filho de Lula

Empresa de paraibano pagou R$ 300 mil ao filho de Lula

Grupo Caoa pagou R$ 300 mil para a Gamecorp, empresa do filho mais velho do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Fábio Luiz, o "Lulinha", sem comprovação de "execução de serviços, contratos e/ou relatórios que acompanhassem tais pagamentos". A informação é dos delatores da Operação Lava Jato: Roberto Trombeta e Rodrigo Morales, responsáveis pela abertura de offshores do grupo.

Durante delação, Roberto Trombeta entregou para as autoridades os documentos das offshores controladas pelo dono da Caoa, o paraibano Carlos Alberto Oliveira Andrade, e abertas por ele, além de notas fiscais de pagamentos. Trombeta acrescentou que atua comercialmente com o grupo há 20 anos.

Os delatores explicaram aos procuradores da República que os repasses ao filho do ex-presidente foram feitos através de notas fiscais enviadas pelo departamento financeiro da empresa. O fato será investigado pela Procuradoria da República, para confirmar se, de fato, houve a execução dos serviços ou se o negócio ocultou repasses.

Segundo a Caoa, os pagamentos foram provenientes de inserções publicitárias em televisão realizadas em 2012. "Coube à agência de publicidade da companhia implementar um projeto com a referida empresa, em 2012, para inserções interativas de publicidade em programas de TV", justificou a assessoria do grupo. Enquanto a defesa de Fábio Luis Lula da Silva confirma que recebeu legalmente (com recolhimento de impostos) pelas inserções da Caoa.

Gamecorp - A empresa Gamecorp, atual PlayTV, pertence ao filho do ex-presidente em sociedade com outros três investigados na Operação Lava Jato: Jonas Suassuna e os irmãos Khalil e Fernando Bittar, que são  – filhos do ex-prefeito de Campinas (SP) Jacó Bittar (PT). Os irmãos Bittar são os donos do Sítio Santa Bárbara, em Atibaia (SP), apontados pela força-tarefa como pertencente ao ex-presidente Lula.

A Gamecorp também foi investigada após ter se associado à OI (antiga Telemar), controlada pela Andrade Gutierrez. As duas empresas compraram depois a BrasilTelecom. A transação foi investigada e depois arquivada em 2012.

Zelotes - O pagamento da Caoa à Gamecorp pode ajudar nas investigações da Lava Jato e também de outras apurações, como a Operação Zelotes, que descobriu um suposto esquema de pagamentos de propinas para edição de medidas provisórias e de venda de sentenças no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), do Ministério da Fazenda. 

 

 

 

Click PB