Emocionado, Cunha renuncia à presidência da Câmara e critica PT

Emocionado, Cunha renuncia à presidência da Câmara e critica PT

Eduardo Cunha (PMDB-RJ) anunciou nesta quinta-feira (7) sua renúncia da presidência da Câmara dos Deputados. Ele leu uma carta de renúncia durante entrevista coletiva e falou de “pressões” e que está pagando um “preço alto”.

Emocionado, Cunha reafirmou que não recebeu propina e nenhuma vantagem. Ele disse ainda que sua família foi usada de forma cruel e desumana para atingi-lo. Cunha afirmou que irá provar inocência nos processos e fez críticas ao PT, afirmando que sua gestão agiu com lisura no processo de impeachment.

Eduardo Cunha foi recebido no Congresso Nacional sob protestos e vaias de diversas pessoas.

Líderes aliados ao peemedebista já avisaram o Palácio do Planalto sobre a decisão do presidente afastado de deixar o cargo.

Cunha quer um acordo dos líderes para antecipar eleição da Câmara para o início da próxima semana. O nome pelo qual ele tem predileção para ocupar o mandato tampão pelos próximos meses é do deputado Rogério Rosso (PSD-DF), mas há pelo menos 12 candidatos informais na Casa para disputar o pleito.

A decisão de enfim deixar o cargo em definitivo ocorreu em reunião na noite de quarta (6), após a divulgação do voto de Ronaldo Fonseca (Pros-DF) na Comissão de Constituição e Justiça, que acatou apenas um dos 16 questionamentos de Cunha à tramitação de seu processo no Conselho de Ética, que recomendou a cassação de seu mandato.

 

 

 

 

MaisPB com Folha de São Paulo