Emenda: Lira destina R$ 250 milhões para impulsionar pequenas e microempresas brasileiras

Emenda: Lira destina R$ 250 milhões para impulsionar pequenas e microempresas brasileiras

Como forma de incentivar as pequenas empresas e impulsionar a economia brasileira em ano de crise, o senador Raimundo Lira (PMDB-PB) apresentou uma Emenda ao Projeto da Lei Orçamentária para 2016 (PLOA 2016), que garante recursos para as Microempresas brasileiras. A Emenda foi aprovada na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), da qual Raimundo Lira é vice-presidente.

Além do desenvolvimento de pequenas e microempresas, a promoção do crescimento industrial e o apoio à educação infantil foram outras áreas beneficiadas com os recursos destinados pela CAE. Já projetos de revitalização da bacia do Rio São Francisco e a Política Nacional de Resíduos Sólidos foram contemplados pela Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA).

No caso da CAE, foi aprovada emenda do senador Raimundo Lira (PMDB-PB) que destina R$ 250 milhões à Secretaria de Micro e Pequena Empresa. Como economista, Lira defende o fortalecimento das microempresas brasileiras, como forma de impulsionar a economia nacional.

Ele lembra que os recursos aprovados na CAE abrem novas perspectivas de crescimento do País, e ainda geram a abertura de novos postos de trabalho. O senador Raimundo Lira lembrou que os empresários brasileiros já sofrem muito com a alta carga tributária e precisam desse tipo de incentivo para sobreviver.

Os integrantes da Comissão também acataram emenda de Waldemir Moka (PMDB-MS) em favor do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Os recursos serão utilizados na promoção do desenvolvimento industrial.

Uma terceira emenda aprovada pelo colegiado reserva R$ 100 milhões do Orçamento federal do ano que vem para a modernização dos sistemas informatizados de comércio exterior. A proposta é do senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA).

Finalmente, a CAE aprovou emenda do senador Lindbergh Farias (PT-RJ), no valor de R$ 40 milhões, para apoio financeiro à Fundação Getúlio Vargas (FGV).

 

 

Assessoria