Em Sousa: Fantástico revela que ex-prefeito e empresário são acusados de roubar água

Em Sousa: Fantástico revela que ex-prefeito e empresário são acusados de roubar água

O Sertão da Paraíba foi destaque mais uma vez no programa Fantástico, da rede Globo de Televisão. No dia 14 de fevereiro do corrente ano o repórter secreto Eduardo Faustini visitou várias cidades do Sertão da Paraíba que estão sendo investigadas na Operação Andaime deflagrada pelo Ministério Público Federal da cidade de Sousa. A Globo citou a prefeituras de Cajazeiras, Cachoeira dos Índios, Monte Horebe, Bernardino Batista e Joca Claudino e Marizópolis.

Desvios de água
Numa região onde a água faz tanta falta, a única coisa que não falta de verdade é o desvio. Neste domingo (21) o Fantástico mostrou o lugar onde o consumidor só recebe metade da água que sai da fonte. A outra metade é roubada no caminho. A equipe da TV Globo visitou as várzeas de Sousa para mostrar a como funciona o esquema de roubo d’água.

Há vários anos os produtores da área do perímetro irrigado das Várzeas de Sousa sofrem com a falta de água causada por desvios irregulares feitos ao longo do canal para beneficiar proprietários que não fazem parte do projeto.

Reportagem exibida pelo Fantástico. (foto: reprodução/vídeo)

Reportagem exibida pelo Fantástico. (foto: reprodução/vídeo)

O ex-prefeito da cidade de Sousa, Fábio Tyrone (PSB) é acusado de ter furtado água do canal. Em contato com o Fantástico, Tyrone teria confirmado que retirou água do canal, porém não faz mais isso. Ele disse ainda que atualmente a fazenda é arrendada a outra pessoa.

A fazenda percentente ao empresário Thiago Isis, também está sendo investigada pelo Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE). Thiago revelou à reportagem que atualmente a fazenda também está arrendada para outra pessoa.

Vários caminhões-pipa também furtam água do canal sem autorização.

Fiscalização
O Presidente da Agência de Gestão de Águas da Paraíba, João Fernandes da Silva, afirmou que para retirar água do canal é necessario ter licença e autorização. O TCE-PB afirmou que a fiscalização deve ser feita pelo Governo do Estado da Paraíba.

 

 

DIÁRIO DO SERTÃO