Em Piancó, greve é legal e sindicalista afirma existir um sério desentendimento entre secretário de saúde e advogado

Em Piancó, greve é legal e sindicalista afirma existir um sério desentendimento entre secretário de saúde e advogado

Os servidores da saúde de Piancó resolveram decretar greve desde segunda-feira(27) após a realização de assembleia e reuniões. Eles reivindicam dois terços de férias, 500 reais retirados ilegalmente pela prefeitura em janeiro de 2013, divisão dos recursos do Programa de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica(Pmac), além de outros benefícios.

Elisiário Evangelista presidente do sindicato da categoria informou que, seguiu todo o procedimento necessário para a greve. Segundo o sindicalista, a prefeitura não cumpriu o acordo firmado em janeiro de 2015, entre o prefeito, a categoria, a juíza, o ministério público e o sindicato.

O sindicalista afirma que, uma comissão de funcionários, tentou inúmeras vezes dialogar com o setor, administrativo, secretário de saúde, além do prefeito de Piancó sobre o caso, porém, sem sucesso.

A prefeitura de Piancó já recebeu do Pmac mais de 500 mil reais. Por Lei 50% desse valor por Lei deve ser implantado nos contracheques dos funcionários da saúde, assim como outros municípios já fazem.

Elisiário revelou ainda que, existe um desentendimento entre o setor jurídico e o secretário de saúde de Piancó. Após conversar com o secretário de saúde Rucrenato Gomes, para resolver a situação.

O secretário afirmou que, o advogado não entende das verbas que entram na prefeitura. Ao saber da declaração do secretário de saúde. O advogado Marcílio Batista respondeu. “Será que eu não entendo dos valores que entram no município? Até porque quem deve saber é ele mesmo. Mas, já que ele disse; aproveite e pergunte se ele entende sobre Leis e quem o defenderá lá em cima?”.

Ao final, Elisiário deixou claro que, se dependesse do advogado Marcílio Batista a prefeitura de Piancó já teria pagado aos funcionários, os valores questionados. No entanto, o secretário de saúde não quer pagar.  O presidente do sindicato afirmou que, que existe dinheiro para resolver o problema, até porque a prefeitura voltou a contratar servidores.

 

 

Vale News PB