Em PE, Dilma diz que São Paulo não se preparou para enfrentar seca

Em PE, Dilma diz que São Paulo não se preparou para enfrentar seca

Candidata à reeleição pelo PT, a presidente Dilma Rousseff afirmou nesta terça-feira (21) durante ato político em Petrolina (PE) que o estado de São Paulo não se preparou para enfrentar a seca. O estado passa por crise no abastecimento de água e a presidente tem dito em diversas ocasiões que a União ofereceu ajuda ao governo estadual, que não a aceitou.

Nesta segunda, durante visita ao Santuário de Nossa Senhora da Piedade, em Caeté (MG), o candidato do PSDB ao Palácio do Planalto, Aécio Neves, disse ver falta de parceria entre o governo federal e o governo de São Paulo para resolver a crise do abastecimento de água.

Sem citar o adversário na corrida presidencial, Dilma disse em Pernambuco que o Nordeste se preparou para seca e não precisa "ficar catando pingo de água por aí". Nas propagandas eleitorais no rádio e na TV, a candidata do PT tem dito que é "triste" ver o estado na situação atual.

"Nós fomos capazes de enfrentar a seca e conviver com a seca. Nós sabemos que a seca vem e temos que estar preparado para ela. O estado mais rico do Brasil, o estado de São Paulo, não se preparou para a seca. O Nordeste se preparou e, diante da maior seca, nós temos condições de viver aqui e não ficar catando pingo de água por aí. As milhões de cisternas são uma benção que construímos", disse a presidente em Petrolina.


Passagem pelo sertão pernambucano
A candidata à reeleição participou do ato público promovido pelos movimentos sociais e pela Articulação do Semiárido Brasileiro (ASA) na praça Dom Malan, no centro de Petrolina. Na ocasião, a petista discursou para milhares de militantes e saudou a população do Semiárido ao ressaltar que a região é uma das mais importantes do país.

"Esta região está mudando pelo braço, a garra e o esforço do seu próprio povo e através das oportunidades que o governo fez pelo semiárido. Tenho orgulho também da parceria que fizemos com todos os movimentos sociais", disse a candidata.

Ainda no discurso, Dilma leu um bilhete que recebeu de uma mulher. O recado agradecia a oportunidade da filha dessa militante estudar na Austrália por meio do programa Ciência Sem Fronteiras, que prevê bolsas de estudo no exterior.

"Eu li esse bilhete porque o Ciência Sem Fronteiras hoje beneficia todos os brasileiros, beneficia uma pessoa do semiárido e várias pessoas", afirmou a presidente, ao defender outras programas do governo, como o Minha Casa, Minha Vida e o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).

A presidente disse ainda que o governo federal deu "especial atenção" nos últimos anos à educação, por meio da abertura novas universidades em todo o país. Dilma enalteceu ainda as escolas técnicas criadas em seu governo
.

 

G1