Em nota, Governo lamenta “tom político” de ministro e diz que PB não é submissa

Em nota, Governo lamenta “tom político” de ministro e diz que PB não é submissa

O Governo do Estado lamentou, através de nota enviada a imprensa, neste sábado (11), a postura assumida pelo ministro das Cidades, Bruno Araújo, sobre a polêmica do repasse de verbas federais para a conclusão do viaduto do Geisel, em João Pessoa.

Na nota, o governo ressalta que o Ministério das Cidades confirmou o bloqueio dos R$ 17,5 milhões e lembrou que a obra tem sido tocada quase, que exclusivamente, com recursos do tesouro estadual.

“A Paraíba não será submissa a qualquer tipo de perseguição. E continuará na luta por recursos e obras para diminuir uma desigualdade de décadas provocadas pela omissão, inércia e abandono de governos que colocaram interesses pessoais acima do povo e dos interesses de milhões de paraibanos”, diz um trecho da nota que foi enviada pela Secom Estadual.

Confira, na íntegra, a nota do Governo do Estado:

NOTA

O Governo do Estado da Paraíba vem a público lamentar a postura do ministro das Cidades, deputado federal Bruno Araújo (PSDB-PE), a respeito do tratamento dispensado à Paraíba e mais especificamente à obra do viaduto do Geisel, uma das mais importantes intervenções em mobilidade urbana em execução no Estado, com vistas a melhorar o trânsito na região metropolitana de João Pessoa.

Por meio de nota enviada à imprensa nesta sexta-feira (10), o Ministério das Cidades confirmou o bloqueio de R$ 17,5 milhões, que já haviam sido anteriormente depositados para conclusão da obra.

Atualmente, o viaduto governador Eduardo Campos vem sendo executado exclusivamente com recursos do Tesouro estadual na ordem de R$ 18 milhões. A obra já conta com 58% dos trabalhos concluídos, conforme atesto dos laudos técnicos da Caixa Econômica Federal. Mas, infelizmente, do Governo Federal, apenas pouco mais de R$ 200 mil foram liberados.

Em nota com tom político, o ministro acusou o governador Ricardo Coutinho de querer “tratamento privilegiado” para a Paraíba, argumento que não reflete a verdade, uma vez que a maioria das obras hoje executadas no Estado depende muito mais dos recursos do Tesouro estadual, diferentemente das parcerias fechadas entre o Governo Federal e outros estados brasileiros.

Lamentavelmente, o ministro Bruno Araújo faz uma avaliação frágil e comete o deslize de criticar um governador que busca recursos para obras e trabalha, incansavelmente, em benefício do Estado.

Em sua missão institucional de assegurar e manter o desenvolvimento da Paraíba, o governador o Ricardo Coutinho estará sempre pronto para atuar pelo maior número de conquista de repasses de verbas, sejam elas públicas ou privadas, para o Estado, apesar daqueles que parecem trabalhar pelo contrário.

A Paraíba não será submissa a qualquer tipo de perseguição. E continuará na luta por recursos e obras para diminuir uma desigualdade de décadas provocadas pela omissão, inércia e abandono de governos que colocaram interesses pessoais acima do povo e dos interesses de milhões de paraibanos.

A obra do viaduto do Geisel é da Paraíba. É dos paraibanos. E por eles o Governo do Estado não hesitará, um segundo sequer, em lutar para que seja concluída. Mesmo diante de bloqueios e boicotes injustificáveis.

 

 

 

 

 MaisPB