Em mensagem de Páscoa, papa pede ‘armas do amor’ contra o terrorismo

Em mensagem de Páscoa, papa pede ‘armas do amor’ contra o terrorismo

O papa Francisco pediu ao mundo em sua mensagem de Páscoa neste domingo que use as “armas do amor” para combater o mal da “cega e brutal violência”, após os atentados terroristas na Bélgica e no Iraque. O pontífice também demonstrou seu pesar com o fato de que refugiados que escapam da guerra e da miséria permanecem sem poder entrar na Europa.
Sob forte esquema de segurança, dezenas de milhares de pessoas enfrentaram longas filas de revista para acompanhar a mensagem de Páscoa de Francisco do balcão da Basílica de São Pedro, no Vaticano.
Em sua tradicional benção Urbi et Orbi (para a cidade e o mundo), feita duas vezes ao ano, o papa falou sobre as vítimas do terrorismo. “Que ele (Jesus ressuscitado) nos aproxime nesta festa de Páscoa das vítimas do terrorismo, de formas cegas e brutais de violência que continuam a derramar sangue em diferentes partes do mundo.”
Publicidade

Francisco mencionou os ataques na Bélgica, onde pelo menos 31 pessoas foram mortas por extremistas islâmicos, bem como aqueles no Iraque, Turquia, Nigéria, Chade, Camarões e Costa do Marfim. “Com as armas do amor, Deus derrotou o egoísmo e a morte”, disse o líder da Igreja Católica.
Na semana passada, durante dois eventos públicos, o papa criticou aqueles que cometem “atos terroristas em nome de Deus”
Ao fim da missa, Francisco falou rapidamente com o ex-rei e a rainha da Bélgica, Albert II e Paola, presentes na cerimônia. O monarca belga abdicou em 2013 em favor de seu filho mais velho, Filipe.

 

 

 

 

Veja