Em Itaporanga, acidente deixa um mecânico morto e seu irmão ferido

Em Itaporanga, acidente deixa um mecânico morto e seu irmão ferido

Como se sabe, a assessoria jurídica da coligação "A Força do Trabalho" já está trabalhando no caso, mas o PSB estuda medidas jurídicas contra as "pedaladas" do Tribunal de Contas, que repassou informações à Justiça Eleitoral supostamente "falsas" e que poderiam levar a uma cassação injusta do governador Ricardo Coutinho. O fato diz respeito aos dados referentes a contratação de 40 mil servidores pelo Governo do Estado no período da campanha eleitoral de 2014.

"O jurídico do governador Ricardo Coutinho já está cuidando desse assunto, mas vou conversar com o Edvaldo Rosas (presidente estadual do PSB), analisar os acontecimentos para que possamos tomar medidas contra essa situação que eu reputo como extremamente grave", disse o presidente do Partido Socialista Brasileiro em João Pessoa, Ronaldo Barbosa.

Adiantou que "vejo com preocupação a forma como o TCE trabalhou esse relatório, um órgão que não pode errar. Espero que o Tribunal Regional Eleitoral possa corrigir esse tremendo equívoco". Ronaldo Barbosa comento, ainda, ser muito estranho "o tio (conselheiro Fernando Catão) do senador Cássio Cunha Lima envolvido neste processo, como personagem principal de ter repassado a informação para o TRE..."

"[...] A ética manda que ele se afaste de todos os julgamentos relacionados a processos do Governo do Estado, colocando-se sob 'suspeito' de agora em diante", acrescentou o dirigente socialista.

Barbosa estranhou: "Como é que se erra justamente no período da campanha eleitoral e o conselheiro não teve o mesmo cuidado em relação aos dados de 2011, 2012 e 2013. Por isso, como dirigente partidário, vamos estudar as medidas cabíveis que o PSB irá adotar", concluiu.  

 

 

 

Redação