Em homenagem, RC diz que Campos seria importante para enfrentar crise

Em homenagem, RC diz que Campos seria importante para enfrentar crise

O governador Ricardo Coutinho participou nesta segunda-feira (10), das homenagens pela passagem da data que marcaria os 50 anos do ex-governador Eduardo Campos (PSB) falecido em agosto de 2014. Para Ricardo Coutinho, Eduardo é uma pessoa muito presente ainda nas mentes e corações dos brasileiros, mas se estivesse vivo seria uma referência importante para este momento que o Brasil vive. “Ele semeou uma visão estratégica de gestão, uma perspectiva diferenciada de se fazer política e fez muito bem a Paraíba”, completou.

Ricardo lembrou que “a ida da fábrica da Fiat para a divisa da Paraíba com Pernambuco e a construção da Estação Ciência, Cultura e Artes, entre outros benefícios estão presentes no Estado, em razão da ação de Campos”. “Lamentei muito a ida de Eduardo, mas viemos aqui também para celebrar a vida seguindo o legado de Eduardo Campos, cujo sonho era de um país desenvolvido e sem desigualdade social”.

Em seu discurso na solenidade que aconteceu no Arcádia Paço Alfândega, em Recife, Ricardo Coutinho também lembrou de grandes momentos que passou ao lado do amigo Eduardo Campos e disse que ele teve a capacidade de construir propostas que dava melhores condições de vida à população, a exemplo do local escolhido para a instalação da fábrica da Jeep da Fiat que veio para mudar o IDH dos municípios da localidade.

Na oportunidade, o governador da Paraíba afirmou que o PSB precisa ter a maturidade para compreender esse momento, ultrapassar a situação que nós vivenciamos com a perda de nossa maior liderança e, ao mesmo tempo celebrar a passagem de Eduardo por esta vida conosco. Nós não estamos aqui para chorar, mas para celebrar a vida de um grande homem, um grande companheiro que ensinou muitas coisas, que enquanto ideias, precisam estar muito latentes na vida de um país tão carente de ideias e de lideranças.

Ainda em seu discurso, Ricardo disse ter entendido muito bem a mensagem de Marina Silva, que estava no evento. E disse concordar com a ex-candidata a vice presidente da República que é preciso que homens e mulheres do bem mudem os rumos desse país, mas no momento das eleições. Essa é uma questão que precisa ter o devido respeito nesse momento porque, talvez a gente possa ser atraído para algo que não nos cabe e não nos pertence.

“O que nos pertence é compreender essa dificuldade e saber ultrapassá-la. É por isso que esse país sente uma falta impressionante de Eduardo Campos e ele certa vez disse: ‘Ricardo deixe o povo nos conhecer que a gente vai ganhar as eleições’. Não sou futurologista, mas ganhando ou não as eleições, com Eduardo teríamos uma das referências importantes para este momento que o Brasil vive”, afirmou Ricardo.

Durante o evento, foi lançada uma coletânea de livros com os discursos do socialista no período em que geriu Pernambuco, de 2006 a 2014. Para a viúva do ex-governador, Renata Campos, o evento foi para celebrar uma bela vida. Ela foi a homenagem ao ex-marido acompanhada dos filhos João, Maria Eduarda, Pedro, José e Miguel, além da mãe e do irmão de Campos, a ministra do TCU Ana Arraes e o advogado Antônio Campos.

Também marcaram presença no evento o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, o vice-presidente Beto Albuquerque, o secretário-geral do partido, Renato Casagrande, o senador Fernando Bezerra Coelho, o senador Aécio Neves (PSDB), a ex-senadora Marina Silva, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, o prefeito de Pernambuco, Geraldo Júlio, o governador do Estado de São Paulo Geraldo Alckmin e o senador Humberto Costa (PT).

 

 

 

MaisPB