Em discurso de Páscoa, Papa expressa preocupação com conflitos no Iêmen e Síria e diz que reza pela paz na África

Em discurso de Páscoa, Papa expressa preocupação com conflitos no Iêmen e Síria e diz que reza pela paz na África

Durante a bênção de Páscoa, o papa Francisco elogiou neste domingo (5) o acordo nuclear com o Irã e expressou sua profunda preocupação com os conflitos no Iêmen, Síria, Iraque, Nigéria e em outras localidades da África.

Em discurso da Praça de São Pedro, logo após a realização de uma missa, o líder da Igreja Católica fez seu primeiro comentário sobre o recente acordo firmado na Suíça, que visa garantir que o Irã não produzirá armas nucleares.

Segundo ele, esse pode ter sido um passo definitivo para um mundo mais seguro e fraternal.

O pontífice falou ainda no "derramamento de sangue absurdo" e de todos os atos bárbaros de violência na Líbia e desejou a paz no Iêmen, assolado pela guerra civil.

O papa Francisco disse que reza pelo fim dos conflitos na Síria e Iraque e para que a paz tome conta da África — Nigéria, Sudão do Sul e Congo.

Na missa de vigília pascal, ele administrou o sacramento a uma menina cambojana de 13 anos de idade e a nove adultos, incluindo uma mulher de 66 anos do Quênia, país onde os militantes islâmicos do al Shabaab mataram 148 pessoas em uma universidade, aparentemente destacando cristãos e deixando alguns muçulmanos escaparem.

O significado Páscoa

Em sua homilia, Francisco orientou os católicos a aprender a "entrar no mistério" da Páscoa, a comemoração da crença cristã de que Jesus ressuscitou dos mortos três dias depois de sua crucificação.

"Entrar no mistério significa ir além de nossa zona de conforto, para além da preguiça e indiferença que nos seguram, e sair em busca da verdade, da beleza e do amor", disse o papa.

"É a busca por um significado mais profundo, uma resposta — que não é fácil — para as questões que desafiam a nossa fé, a nossa fidelidade e nossa própria existência", completou.

 

 

 

 

 

Brasil Post