Em Conceição, vereadora se diz perseguida por seu próprio grupo politico

Em Conceição, vereadora se diz perseguida por seu próprio grupo politico

Dior criticou a assessoria jurídica da casa e citou que um projeto de sua autoria, votado e aprovado na câmara, perdeu força quando a assessoria jurídica afirmou que não era da competência da Câmara votar tal projeto.

A vereador Dior sabino “disparou” críticas e demonstrou toda a sua insatisfação com o que ela chama de falta de respeito, para com ela. De acordo com a vereadora, ela está recebendo um tratamento “hostil” da presidência da casa. Ela disse que a forma com que está sendo tratada parece de propósito.Dior criticou a assessoria jurídica da casa e citou que um projeto de sua autoria, votado e aprovado na câmara, perdeu força quando a assessoria jurídica afirmou que não era da competência da Câmara votar tal projeto. O principal objetivo do projeto da vereadora seria para que a população de baixa renda do município não pagasse mais as taxas de religações da Cagepa e Energisa. Para Dior, o valor da taxa é um absurdo e incrementação do projeto ajudaria muito a essas pessoas pobres do município.

“Eu estou sendo judiada pelo meu próprio grupo. Mas, quero que saibam que não fui eleita por grupo. Eu fui eleita pelo povo e da forma que estão me judiando, estão também judiando esse povo que votou em mim para vereadora. Minha prioridade não será grupo político algum. Minha prioridade será o povo. Eu sinto que querem engessar meu mandato e espero que as coisas, que estão acontecendo, não voltem a acontecer”, finalizou.

 

 

 

Fonte: Redação do portal Vale do Piancó Notícias