Em campanha, Dilma visita posto de saúde na Grande SP durante horário de expediente

Em campanha, Dilma visita posto de saúde na Grande SP durante horário de expediente

A presidente Dilma Rousseff (PT) interrompeu a agenda de trabalho para fazer a sua primeira agenda de campanha em horário de expediente, nesta segunda-feira. O local escolhido foi a unidade de saúde da família no Jardim Jacy, periferia de Guarulhos, na Grande São Paulo. A agenda de Dilma foi programada às pressas, no final de domingo. Mesmo funcionários do posto de saúde se disseram surpresos. Na agenda oficial da Presidência, o compromisso só apareceu no meio da manhã.

Dilma visitou a unidade de saúde, conversou com funcionários e médicos e, na saída, abraçou e beijou crianças que gritavam seu nome.

A presidente chegou por volta das 10h30m, acompanhada de assessores de campanha e do marqueteiro João Santana, para uma visita ao posto. Embora seja uma atividade eleitoral, a presidente esteve acompanhada de dois ministros: Arthur Chioro, da Saúde, e o da Secretaria da Comunicação, Thomas Traumann.

A imprensa foi vetada de participar de sua visita e os profissionais de imagem foram autorizados a capturar algumas cenas no encontro de Dilma com pacientes e profissionais de saúde dentro da unidade.

Logo pega manhã, assessores que estavam no local informaram à imprensa que se tratava de uma agenda mista, de campanha e presidência. A assessoria do Ministério da Saúde informou que o objetivo da presidente era acompanhar o funcionamento da unidade de saúde, que tem 17 anos, passou por uma reforma há dois anos e atende a população com seis médicos, dois deles cubanos do programa Mais Médicos. Ainda segundo o ministério, não se tratava de uma agenda de última hora.

Em pronunciamento à imprensa, a presidente defendeu o programa Mais Médicos e disse que fez a visita ao local para acompanhar o desempenho do atendimento de saúde em Guarulhos. Ela disse que São Paulo foi o estado que mais demandou médicos do programa.

O ministro Arthur Chioro disse que o horário escolhido para a visita, no final da manhã, é de menor movimento no posto de saúde e que não houve prejuízo no atendimento. Segundo ele, Dilma conversou com médicos e funcionários do posto. Chioro disse que Dilma fez outras quatro visitas em postos de saúde sem estar em campanha.

O ministro de Comunicação, Thomas Traumann, confirmou que se tratava de uma agenda de campanha. Questionado pelo GLOBO se a presidente havia usado o avião do governo para a viagem, disse que Dilma viajou em aeronave fretada pelo PT, partido pelo qual Dilma concorre à reeleição.

Segundo membros do estafe presidencial, o marqueteiro João Santana acompanhou a visita. Um dos seguranças da Presidência comentou que aquele teria sido o motivo da viagem. Dilma estava acompanhada da equipe de TV de Santana, mas uma das assessoras da Presidência disse que não houve filmagem no interior do prédio público.

Segundo uma das assessoras da presidência, Dilma não tem um horário fixo de expediente e que por conta do cargo que ocupa está sempre à disposição.

A professora de Direito Eleitoral da FGV-Rio Silvana Batini explicou que a legislação vigente veta a veiculação de propaganda de qualquer natureza em bens do poder público e de uso comum.

- No que diz respeito ao expediente, um agente político faz seu próprio horário de trabalho, o que não se estende aos servidores - disse Silvana, que é também procuradora Regional da República no Rio.

Especialista em legislação e leitoral, o advogado Alberto Rollo diz que “visita não é uso de equipamento público”.

- O que não pode é parar o equipamento de saúde para fazer a campanha - disse, e complementou que “o governante é que determina qual é o seu horário de trabalho”.

 

O Globo