Eduardo Cunha pode contar com maioria de votos na Paraíba para disputa pela presidência da Câmara Federal

Eduardo Cunha pode contar com maioria de votos na Paraíba para disputa pela presidência da Câmara Federal

Na esteira da vinda de Arlindo Chinaglia à Paraíba hoje, chega, ainda esta semana, provavelmente amanhã, ao estado o também candidato à Presidência da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB).

Eduardo Cunha tem recebido apoio de diversos partidos da oposição ao governo Dilma Rousseff (PT) por sua postura combativa ao longo de 2014 na Câmara Federal.

Na Paraíba o deputado conversará com seus colegas de plenário e discutirá os tópicos mais importantes da agenda do Legislativo.

“Ele tem sido o favorito para a presidência da Câmara, e está visitando todos os estados. A boa convivência com os estados é importante pois diversos projetos de interesse desses estados dependem da vontade do presidente para que sejam pautados”, explicou o deputado federal Hugo Mota (PMDB), que receberá seu colega de partido na Paraíba.

Alguns deputados já declararam seu apoio à candidatura de Eduardo Cunha, como Efraim Filho (DEM), Wilson Filho (PTB) e, mais informalmente, Benjamim Maranhão (Solidariedade).

“Temos três votos do partido, ainda, e a possibilidade de que o PP venha compor também. Temos o deputado Aguinaldo Ribeiro deste partido. Ainda temos Wellington Roberto, do PR, que vota em Eduardo. A expectativa é que possamos sair da Paraíba com nove ou dez votos dos 12 posíveis no estado”, declarou.

O deputado federal Wilson Filho (PTB) já declarou apoio à candidatura de Eduardo Cunha. Ele está seguindo a definição de seu partidoa, que fechou questão em favor da candidatura do peemedebista.

“Seguirei a orientação do meu partido. Estarei em João Pessoa nesta quinta para me encontrar com o candidatoa”, revelou.

Ele reafirmou sua lealdade à visão da sua legenda e declarou que não tem qualquer intenção de contrariar a decisão do PTB.

“Não quero me insurgir. Nem tenho idade para isso. A decisão já está tomada e votarei em Eduardo Cunha”, concluiu.

 
 
 


Da Redação jt