Dólar fecha em queda nesta terça após superar R$ 4 na véspera

Dólar fecha em queda nesta terça após superar R$ 4 na véspera

O dólar fechou em queda frente a real nesta terça-feira (22), depois de superar a marca de R$ 4na véspera pela primeira vez desde outubro, em meio a expectativas de estímulos econômicos na China e alguma tranquilidade no mercado de petróleo.

A moeda norte-americana teve desvalorização de 0,85% frente ao real, cotada a R$ 3,9885 para venda. No mês de dezembro, o dólar acumula valorização de 2,6%. Em 2015, a moeda sobe 50%.

 

Acompanhe a cotação ao longo do dia:
Às 9h10, caía 0,532%, cotada a R$ 4,0014.
Às 9h40, caía 1,06%, a R$ 3,98.
Às 10h09, caía 1,13%, a R$ 3,977.
Às 11h49, caía 0,93%, a R$ 3,985.
Às 12h10, caía 0,9%, a R$ 3,986.
Às 12h30, caía 1,05%, a R$ 3,98.
Às 12h50, caía 1,01% a R$ 3.982.
Às 13h10, caía 0,61% a R$ 3,988.
Às 13h19, caía 0,61%, a R$ 3,998.
Às 13h29, caía 0,763%, a R$ 3,9921.
Às 14h17, caía 0,34%, a R$ 4,0091.
Às 15h25, caía 0,50%, a R$ 4,0025.
Às 16h35, caía 0,74%, a R$ 3,9930.

 

"O mercado está um pouco sem racionalidade porque o volume está muito baixo no fim do ano e as incertezas estão muito fortes", afirmou à Reuters o operador da gestora de recursos de um banco internacional. "Ontem subiu muito, hoje tem espaço para cair, ainda mais com o cenário externo mais favorável".

Desde sexta-feira, o dólar é pressionado pela nomeação de Nelson Barbosa para substituir Joaquim Levy no Ministério da Fazenda. Embora Barbosa tenha reforçado a importância do ajuste das contas públicas em seus discursos, operadores temem que sua indicação sinalize relaxamento do rigor fiscal.

Nesta sessão, porém, operadores ajustaram suas carteiras após expressivas altas nas duas últimas sessões. O clima mais positivo nos mercados externos também favoreceu o ajuste, com os preços do petróleo operando perto da estabilidade após atingirem a mínima em 11 anos e em meio a esperanças de novos estímulos na China.

O movimento foi acentuado pelo baixo volume de negócios no Brasil, na penúltima sessão antes do feriado do Natal. "Com a proximidade dos feriados de final de ano, o volume de negócios tende a diminuir", disse à Reuters o operador da corretora SLW João Paulo de Gracia Correa.

Ele acrescentou, porém, que "os agentes locais devem mostrar pouca disposição para assumir riscos até verem na prática o novo ministro da Fazenda... cumprir com a promessa de buscar o equilíbrio das contas públicas".

 

Leilão do BC
O Banco Central faz nesta sessão leilão de venda de até US$ 500 milhões com compromisso de recompra, em operação que não tem como fim a rolagem de contratos já existentes, informou a agência Reuters.

 

O Banco Central também deu sequência nesta sessão à rolagem dos swaps cambiais que vencem em janeiro, com oferta de até 11.260 contratos, que equivalem a venda futura de dólares. Até agora, a autoridade monetária já rolou o equivalente a 8,753 bilhões de dólares, ou cerca de 82% do lote total, que corresponde a 10,694 bilhões de dólares.

 

Véspera
A moeda norte-americana teve valorização de 1,92%, cotada a R$ 4,0228 na véspera. A última vez que o dólar fechou acima de R$ 4 foi no dia 1º de outubro. No mês de dezembro, o dólar acumulou alta de 3,5%. Já em 2015, a moeda avançou 51%.
 

 

G1