Dólar fecha em queda com bom humor global e à espera de votação

Dólar fecha em queda com bom humor global e à espera de votação

O dólar fechou em queda nesta quarta-feira (13). O dia foi de bom humor nos mercados globais diante da perspectiva de novos estímulos econômicos, segundo a Reuters. O recuo foi limitado pela cautela antes da votação da presidência da Câmara dos Deputados e pela nova atuação do Banco Central brasileiro.

A moeda norte-americana caiu 0,71%, a R$ 3,2745.  Veja a cotação do dólar hoje.

 

Acompanhe a cotação ao longo do dia:
Às 9h09, alta de 0,04%, a R$ 3,2995
Às 9h39, queda de 0,23%, a R$ 3,2903
Às 10h30, queda de 0,53%, a R$ 3,2804
Às 11h09, queda de 0,37%, a R$ 3,2856
Às 11h39, queda de 0,31%, a R$ 3,2875
Às 11h30, queda de 0,05%, a R$ 3,2962
Às 13h30, queda de 0,21%, a R$ 3,2910
Às 14h47, queda de 0,34% a R$ 3,2821
Às 15h30, queda de 0,48%, a R$ 3,2821
Às 16h17, queda de 0,53%, a R$ 3,2805
 
Operadores adotaram cautela antes da votação na Câmara, marcada para esta tarde. Na terça-feira (12), a bancada de deputados do PMDB decidiu que terá candidatura própria à presidência da Câmara e escolheu o deputado Marcelo Castro (PI) como postulante oficial do partido, à revelia do Palácio do Planalto.

"Muita gente fica com um pé atrás de operar antes da eleição na Câmara", disse o operador da corretora Intercam Glauber Romano à Reuters.

Operadores ainda apostam que Temer terá mais facilidade que sua antecessora, a presidente afastada Dilma Rousseff, para aprovar medidas de ajuste fiscal no Congresso, perspectiva que vem contribuindo para aumentar a demanda por ativos brasileiros.

A equipe de estratégia do banco HSBC recomendou a clientes que comprem títulos de 10 anos do Brasil, citando a influência de Temer no Congresso, o quadro global mais favorável e a credibilidade do presidente do BC, Ilan Goldfajn, ainda segundo informações da Reuters.

 

Os mercados internacionais reagiram com bom humor nos últimos três dias de negócios em meio à perspectiva de medidas de estímulo no Japãox e no Reino Unido, que ofuscou preocupações com o impacto econômico da opção britânica por deixar o Reino Unido.
 
Intervenção do BC
A queda do dólar foi amenizada pela atuação do Banco Central brasileiro, que interveio para sustentar as cotações da moeda dos Estados Unidos em todos os dias deste mês, à exceção de sexta-feira passada, quando o dólar caiu mais de 2%. Nesta quarta, o BC repetiu a venda de 10 mil swaps reversos, que equivalem à compra futura de dólares.

 

Véspera
Na véspera, o dólar caiu 0,36%, vendido a R$ 3,298.


 

G1