Diretor do Trauma nega morte cerebral de advogada; sedação está sendo tirada

Diretor do Trauma nega morte cerebral de advogada; sedação está sendo tirada

O diretor do Hospital de Trauma de João Pessoa, doutor Edivan Rodrigues, negou que a bacharel em Direito, Erica Vanessa Lira, tenha entrado em estado de morte encefálica, como foi noticiado por alguns órgãos de imprensa. De acordo com o médico, o estado dela piorou muito de ontem para hoje, estando em estado gravíssimo, mas ainda não se configurou morte cerebral.

O médico informou que desde ontem a sedação de Érica está sendo retirada para que os médicos possam avaliar os danos causados ao cérebro da bacharel. Ela deu entrada no Hospital no último dia 24 vítima de arma de fogo com um tiro na cabeça. O principal suspeito do crime, era o namorado da vítima, o advogado Itamar Montenegro, que se entregou ontem a Polícia e acabou presso.

Doutor Edivan explicou que o estado de saúde de Érica se agravou por conta do inchaço e falta de irrigação sangüínea no cérebro. Ele destacou ainda que para se confirmar morte encefálica é preciso que o paciente passe por um protocolo estabelecido pelos organismos mundiais de saúde, que são três exames.

"Ela ainda não passou por nenhum exame deste protocolo. Estamos diminuindo a sedação para avaliar a reação da paciente. Só depois se verá a necessidade de cumprir este protocolo, mas o estado dela é gravíssimo", disse o médico em entrevista ao programa Correio Verdade da 98 FM.
 

Da redação
WSCOM Online