Dilma volta a ser vaiada e xingada no Maracanã na final da Copa

Dilma volta a ser vaiada e xingada no Maracanã na final da Copa

Mesmo sem aparecer no telão em nenhum momento, a presidente Dilma Rousseff foi vaiada no Maracanã, no segundo tempo da partida final da Copa do Mundo entre Alemanha e Argentina.



Como na abertura da Copa, realizada em São Paulo, no estádio Arena Corinthians, os gritos incluíram palavrões, mas foram rapidamente abafados.



Almoço

Depois de almoçar com oito chefes de Estado no Palácio da Guanabara, a presidente Dilma Rousseff foi ao Maracanã para o encerramento da Copa. A presidente, no entanto, não assistiu à festa que celebrava o fim da Copa, que começou às 14h20.



Ao contrário de Dilma, outros chefes de Estado, como a alemã Angela Merkel e o russo Vladimir Putin, viram o show.



A presidente só entrou na tribuna de honra do Maracanã momentos antes de começar a partida entre Alemanha e Argentina. O jogo começou às 16h. Dilma sentou-se ao lado de Angela Merkel e do presidente da Fifa, Joseph Blatter.



As portas do salão nobre do Palácio foram fechadas às 12h50 para a cerimônia com os chefes de Estado. O almoço durou menos de uma hora e Dilma sentou-se entre Putin e Zuma, enquanto Angela Merkel ficou próxima a Luiz Fernando Pezão, governador do Rio.



O clima foi descrito como "descontraído" por representantes do Itamaraty. O ministro de Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, também participou do encontro.

 

Uol