Dilma Rousseff é reeleita presidente da República com 51% dos votos válidos

Dilma Rousseff é reeleita presidente da República com 51% dos votos válidos

Os eleitores brasileiros escolheram manter Dilma Rousseff na presidência da República por mais quatro anos. A candidata do Partido dos Trabalhadores (PT) foi reeleita neste domingo (26), com 51,64% dos votos válidos, divulgados oficialmente pelo Tribunal Superior Eleitoral 21h54 (horário da Paraíba), quando 99,99% das urnas estavam apuradas. A porcentagem corresponde ao apoio de 54,49 milhões de pessoas nas urnas. Ela disputou o segundo turno com Aécio Neves (PSDB), que teve 51,04 milhões de votos, igual a 48,36%. Brancos e nulos somaram 6,34%.

 

Dilma conseguiu 1,38 milhão de votos na Paraíba, o que equivale a 64,26% dos votos válidos, enquanto Aécio obteve 767,9 mil, igual a 35,74%.

No primeiro turno, Dilma Rousseff obteve 41,59% dos votos, enquanto Aécio ficou com 33,55%. A terceira candidata mais votada, Marina Silva (PSB), declarou apoio a Aécio no segundo turno; o tucano também recebeu adesões de Eduardo Jorge e Pastor Everaldo, que somaram 1,36% dos votos no dia 5 de outubro.

Entre as propostas defendidas por Dilma Rousseff durante a corrida eleitoral estão o combate à pobreza; controle da inflação; aumento da taxa de investimento na economia; ampliação dos serviços de saúde, através da expansão do programa Mais Médicos e da rede de unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e ampliação do acesso da população a medicamentos. Ela também considerou prioridade a luta pelos direitos humanos e políticas públicas que garantam mais empoderamento, autonomia e violência zero para as mulheres.

Para o segundo governo, Dilma também prometeu transformar a qualidade do ensino e destinar recursos originários da exploração do petróleo no pré e pós sal para ações na área da Educação. Além disso, a petista se comprometeu em presença do Estado em territórios vulneráveis, incentivando os governos estaduais a aderirem ao Programa Brasil Seguro e ao Programa Crack, é Possível Vencer. Ela propôs a criação da Academia Nacional de Segurança Pública, para formação das polícias, formulação e difusão de procedimentos operacionais padronizados e formação de analistas e garantiu que vai fortalecer o combate às organizações criminosas e à lavagem de dinheiro e o controle das fronteiras.

 

Natural de Belo Horizonte, capital mineira, Dilma Rousseff foi eleita presidente do Brasil pela primeira vez em 2010, com 56,05% dos votos. Ela substituiu Luis Inácio Lula da Silva e recebeu o apoio de 55,7 milhões de brasileiros nas urnas. Antes disso, Dilma foi ministra-chefe da Casa Civil, Ministra de Minas e Energia, Secretária Estadual de Energia, Minas e Comunicações, no Rio Grande do Sul, e Secretária Municipal da Fazenda, em Porto Alegre.