Dilma diz que Ibama vai multar Samarco em R$ 250 milhões

Dilma diz que Ibama vai multar Samarco em R$ 250 milhões

A presidente Dilma Rousseff anunciou nesta quinta-feira (12), durante visita a Governador Valadares (MG), que o Ibama vai aplicar uma multa de R$ 250 milhões à Samarco Mineradora.

A empresa, cujos donos são a Vale e a anglo-australiana BHP Billiton, é responsável pelasduas barragens que se romperam há uma semana, causando uma enxurrada de lama que destruiu o distrito mineiro de Bento Rodrigues e avança sobre o Rio Doce, causando prejuízos às cidades por onde passa. 

"A multa preliminar é de R$ 250 milhões por dano ambiental e comprometimento da bacia hidrográfica, dano ao patrimônio público e pela interrupção da energia elétrica", afirmou Dilma durante a coletiva.

A presidente disse que os estados atingidos podem também pedir ressarcimento à mineradora. O Ibama confirmou que vai aplicar cinco multas de R$ 50 milhões cada uma.

 

Abastecimento
Governador Valadares está entre as cidades onde a captação de água precisou ser interrompida por causa da lama que tomou conta do Rio Doce.

 

O juiz Lupércio Paulo Fernandes de Oliveira, da Comarca de Valadares, determinou que aSamarco forneça 800 mil litros de água por dia para garantir o abastecimento do município durante 72 horas, sob pena de multa diária de R$ 1 milhão.

A decisão exige também que a Samarco monitore a qualidade da água do Rio Doce e apresente, em 30 dias, um plano para verificar a persistência de poluentes na água e outro para reparação dos danos causados.

 

Visita
A presidente Dilma Rousseff desembarcou no aeroporto de Governador Valadares por volta das 13h15 desta quinta. Ela chegou à cidade de helicóptero, após visitar Mariana,  onde ficam as barragens.

 

Dilma veio acompanhada dos ministros Aloísio Mercadante (Educação), Izabella Teixeira (Meio Ambiente) e Gilberto Occhi (Integração Nacional).

Também participaram da visita o prefeito de Mariana, Duarte Júnior, e os governadores de Minas GeraisFernando Pimentel, e do Espírito Santo, Paulo Hartung. Eles vieram com o gabiente de crise, formado por representes da Defesa Civil, Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros para amenizar os danos causados.

Depois de Valadares, a presidente seguiu para  Colatina (ES), que também passa por problemas de abastecimento de água pela contaminação do Rio Doce.

 

 

 

G1