Dilma diz a RC que transposição só será antecipada com a CPMF

Dilma diz a RC que transposição só será antecipada com a CPMF

O governador Ricardo Coutinho, ao lado dos governadores Paulo Câmara (Pernambuco); Camilo Santana (Ceará); Ezequiel Ferreira (do Rio Grande do Norte – no exercício do cargo) se reuniu nesta quinta-feira (19) com a presidente Dilma Rousseff, no Palácio do Planalto, em Brasília. A pauta prioritária da reunião foi a estiagem pela qual passa o semiárido nordestino e as ações, por parte do Governo Federal, para minimizar os danos de um dos mais severos ciclos de seca pelo qual passa o Nordeste.

De acordo com o secretário estadual de Comunicação, Luís Tôrres, o montante de investimentos neste segmento apresentados pelo governador Ricardo Coutinho para a Paraíba é na ordem de R$ 320 milhões, entre cobrança de solicitações antigas e novas obras para amenizar os efeitos da seca no estado.

O governador Ricardo Coutinho disse que explicou à presidente Dilma as ações que estão acontecendo na Paraíba, mas que é necessária uma resposta urgente do Governo Federal no tocante às ações emergenciais.

“O prognóstico da estiagem para o próximo ano é extremamente difícil. A presidente chamou os governadores para debater o tema, colocou na mesa a questão da liberação de alguma operação de crédito, que vamos definir em cada estado como será. São empréstimos que possam aquecer a economia de cada um dos estados. Precisamos ter agilidade, pressa, pois precisamos dar respostas ainda esse ano. Tanto na questão do empréstimo quanto nas questões das ações emergenciais.  Por isso fiz um apelo à presidente, havendo capacidade e possibilidade, o Governo Federal antecipasse em dois ou três meses a conclusão das obras de interligação com a Bacia do Rio São Francisco”, afirmou Ricardo.

Na oportunidade, a presidente Dilma Rousseff condicionou a entrega antecipada das obras de integração das bacias do Rio São Francisco à aprovação da nova Comissão Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). Segundo a petista, o governo federal terá de postergar projetos e iniciativas previstas para o ano que vem. “A CPMF é o plano que temos e não tem outro”, disse.

De acordo com o secretário de Estado da Infraestrutura, Recursos Hídricos, Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia, João Azevedo, entre os novos pleitos do Governo da Paraíba, que totalizam um orçamento de R$ 85 milhões, estão a construção de Adutoras Emergenciais, contratação de carros-pipa, perfuração de poços e realização de projetos de dessalinização de água. Entre as demandas antigas, que se fizeram presentes novamente na pauta da reunião foram destacadas a construção do Canal Acauã-Araçagi e o PAC da Seca (com obras a exemplo da reconstrução da barragem Camará).

 

 

MaisPB