Dilma cancela encontro com movimentos sociais e se reunirá com parlamentares, diz assessoria

Dilma cancela encontro com movimentos sociais e se reunirá com parlamentares, diz assessoria

A assessoria do Palácio do Planalto informou que a presidente Dilma Rousseff cancelou o encontro previsto para a manhã deste sábado (16), em Brasília, com um grupo de integrantes de movimentos sociais contrários ao processo de impeachment, que se autodeclaram "Movimentos Populares pela Democracia e Contra o Golpe".

Segundo a Presidência, Dilma dedicará o dia para comandar reuniões com parlamentares, na tentativa de garantir os votos necessários para que a Câmara não aprove o seu afastamento.

 

A participação de Dilma no ato estava prevista desde a última quinta (14) e chegou a constar da agenda oficial da presidente, divulgada pela Secretaria de Comunicação Social na noite desta sexta (15). Apesar de a presidente ter desistido de ir ao encontro com os militantes contrários ao impeachment, há a expectativa de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva compareça ao evento.

Na noite desta sexta, o Partido dos Trabalhadores (PT) divulgou nas redes sociais um vídeo gravado por Dilma no qual a presidente critica o processo de impeachment. Em sua fala, a petista voltou a chamar seus adversários de "golpistas" e reiterou que não há fundamento jurídico para ser afastada do comando do país.

Inicialmente, a gravação seria veiculada em cadeia nacional de rádio e TV, mas, segundo o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, orientou Dilma a desistir do pronunciamento para não gerar "polêmica". De acordo com o governador maranhense, que se reuniu com a presidente nesta sexta no Planalto, o "foco" da petista tem de ser o diálogo com os parlamentares da base para que eles votem contra o impeachment.

Desde a manhã desta sexta (15), deputados favoráveis e contrários ao impeachment têm se revezado na tribuna da Câmara para se posicionar sobre o processo de afastamento. Os deputados devem votar em plenário, neste domingo (17), se abrem ou não o processo de impeachment.

 

Michel Temer
O vice-presidente da República, Michel Temer, decidiu retornar neste sábado para Brasília neste sábado. Ele havia viajado nesta para sua residência em São Paulo e, inicialmente, pretendia ficar o fim de semana longe do Congresso Nacional, onde os deputados discutem a abertura do processo de afastamento de Dilma.

 

Mais cedo, em sua conta pessoal no microblog Twitter, o vice-presidente escreveu que, se assumir o comando do Planalto em substituição a Dilma, não vai acabar com o Bolsa Família e vai manter todos os programas sociais.

"Leio hoje nos jornais as acusações de que acabarei com o Bolsa Família. Falso. Mentira rasteira. Manterei todos programas sociais", escreveu o vice.

 

 

 

 

G1