Descubra o que você precisa saber antes de reutilizar a sua garrafa plástica de água

Descubra o que você precisa saber antes de reutilizar a sua garrafa plástica de água

Pergunta: se ela só contém água, qual é o problema se eu não lavar minha garrafinha de plástico?

Resposta: se você tem uma garrafa que usa diariamente para tomar água, parabéns! Nós achamos ótimo que todos fiquem hidratados. Mas a pergunta é a seguinte: qual foi a última vez que você lavou essa garrafa d’água? Afinal, se você só a enche de água, ela não chega a ficar suja, certo?

Não é bem assim, especialmente se você usa uma garrafinha descartável que não foi feita para ser usada mais de uma vez. Em um artigo publicado em 2007 do periódico Practical Gastroenterology, especialistas observaram que os produtores de água comercialmente engarrafada não recomendam a reutilização das garrafas descartáveis. Isso porque “o desgaste cotidiano provocado pela reutilização e as lavagens repetidas podem levar à deterioração física do plástico, com o surgimento de rachaduras e o afinamento visível do plástico. Bactérias podem alojar-se nas rachaduras, gerando riscos à saúde”, eles escreveram. Além disso, “a reutilização de garrafas plásticas pode levar à contaminação bacteriana a não ser que as garrafas sejam lavadas regularmente”, o que significa lavar com sabão suave, enxaguar bem (mas não com água muito quente) e certificar-se de que “não houve deterioração física antes de reutilizar a garrafa”.

Mesmo as garrafas de água plásticas reutilizáveis podem encerrar riscos de contaminação bacteriana se você não as lavar ou se as reutilizar “apesar de sinais visuais de desgaste”, segundo o artigo. “As bactérias que podem alojar-se nos riscos e fendas parecem representam um risco maior à saúde que a possibilidade de substâncias passarem do plástico para a água durante o uso diário.”

E as garrafas de água podem servir de refúgio perfeito para as bactérias. Em um estudo de 2002, publicado no Canadian Journal of Public Health, pesquisadores da Universidade de Calgary testaram 76 amostras de água de garrafas de água de alunos do ensino básico; algumas delas eram reutilizadas durante meses a fio sem jamais serem lavadas. Descobriram que quase dois terços das amostras apresentavam níveis bacterianos que passavam dos padrões, possivelmente “graças ao efeito do recrescimento de bactérias em garrafas que permaneceram em temperatura ambiente por um período prolongado”.

Os cientistas não examinaram a fonte exata da contaminação, mas “a fonte mais provável das bactérias entéricas encontradas nas garrafas de água dos alunos está nas mãos dos próprios alunos”, diz o estudo. “A lavagem inadequada de mãos após o uso do toalete pode resultar na presença de coliformes fecais nas salas de aula.”

 

E as garrafas não lavadas funcionam como criadouro perfeito de bactérias, observa Cathy Ryan, uma das responsáveis pelo estudo e professora de geociências na Universidade de Calgary. Ela disse ao HuffPost que “as bactérias crescem quando as condições corretas existem”, como umidade e a temperatura adequada. “Essas coisas estão presentes em garrafas não lavadas”, ela diz.

Num ensaio mais casual (e sem revisão de pares), a emissora KLTV examinou níveis de bactérias em garrafas d’água usadas por uma semana sem serem lavadas. As culturas bacterianas foram tiradas do gargalo e boca das garrafas. Resultado: “Em todas as garrafas havia muitas bactérias do tipo que podem fazer você adoecer gravemente, quase como uma intoxicação alimentar”, disse à emissora o médico Richard Wallace, do Centro de Saúde da Universidade do Texas. “Podem provocar náuseas, vômito, diarreia. Basicamente o pior vômito de sua vida.”

Você deve estar pensando: “Sem problemas, vou colocar minha garrafa d’água na máquina de lavar louça, e pronto”. Bem, “o impacto da lavagem manual ou não em água muito quente deve ser pequeno sobre a estrutura química da maioria dos plásticos ditos ‘podem ser lavados na máquina’, mas as garrafinhas ditas descartáveis são feitas para ser usadas só uma vez e então descartadas, não reutilizadas”, diz o professor de farmacologia Scott Belcher, da Universidade de Cincinatti, que pesquisou a liberação de bisfenol A (BPA), que causa perturbação endócrina, de diferentes tipos de garrafas de água. “O aquecimento certamente vai elevar a migração de substâncias químicas do plástico”, ele diz.

É claro que não estamos dizendo que você jamais deve reutilizar uma garrafa de água (afinal, só temos um planeta Terra e precisamos cuidar bem dele). Mas, observa Belcher, você pode pensar melhor sobre o tipo de garrafa de água que você compra e reutiliza. Ele recomenda garrafas de vidro com estruturas protetoras e garrafas de aço inoxidável. “Se você quiser uma garrafa de plástico, recomendo uma feita de polipropileno, geralmente um plástico branco”, ele disse ao HuffPost. “Essas são as garrafas de plástico não reativo do tipo que frequentemente usamos no laboratório.” Mas ele ressalva que não é possível saber que plastificadores ou outros aditivos podem ter sido usados no processo de manufatura. E, mesmo que você opte por uma garrafa de um desses tipos, lembre que ainda é importante mantê-la limpa para minimizar a contaminação bacteriana (lavando-a e deixando-a secar antes de reutilizá-la).
 

 

Brasil Post