Deputados eleitos e líderes evangélicos processados por campanha em igrejas

Deputados eleitos e líderes evangélicos processados por campanha em igrejas

A ideia de desrespeitar a legislação e fazer campanha em templos religiosos não caiu bem para o deputado federal reeleito Francisco Floriano (PR) e o recém-eleito deputado estadual Milton Rangel (PSD).

Os dois deputados e líderes religiosos das igrejas Mundial do Poder de Deus e Universal do Reino de Deus vão responder processo da Procuradoria Regional Eleitoral por abuso de poder econômico ao desvirtuarem o uso das igrejas.

Além de serem impedidos de tomar posse, Floriano e Rangel podem ficar inelegíveis por oito anos.

O Pastor Léo, da Igreja Mundial do Poder de Deus, em Duque de Caxias, vai responder por guardar material de campanha de Floriano e Rangel. Já os bispos Daniel Santos e Junior Reis, da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), são acusados de usarem os templos da IURD em Del Castilho e Nova Iguaçu para a promoção pessoal de candidatos do PRB, partido de Marcelo Crivella.


 
 

Extra Online