Dengue chega a 1,59 milhão de casos no Brasil em 2015 em balanço parcial

Dengue chega a 1,59 milhão de casos no Brasil em 2015 em balanço parcial

Ministério da Saúde ainda não terminou de compilar todos os casos de dengue registrados em 2015, mas até 5 de dezembro o número de vítimas do vírus havia chegado a 1,59 millhão.

No último boletim epidemiológico divulgado pelo governo sobre a doença, as regiões Oeste e Centro-Oeste apareceram com as maiores taxas de disseminação da doença. São Paulo e Goiás tiveram até o período, respectivamente, incidências de 2.438 e de 1.640 casos por 100 mil habitantes.

Os quatro municípios recordistas na permanência da doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti são paulistas:

 

Onda Verde: 17.966 casos/100 mil
Rio Claro: 10.237 casos/100 mil
Sorocaba: 8.647 casos/100 mil
Campinas: 5.746 casos/100 mil

 

Antes de dezembro, 2015 já havia se tornado o ano com maior número de casos registrados de dengue e de mortes provocadas pela doença. Até 5 de dezembro, 839 pessoas haviam morrido em decorrência da dengue, um aumento de 80% em relação a 2014.

O ano de 2015, ainda em outubro, já havia superado o ano recorde de casos de dengue, que era de 1,45 milhão, em 2013. Em 2014, ocorreram 589 mil casos.

 

Zika, chikungunya e febre amarela
O Ministério da Saúde ainda não conseguiu concluir os números de 2015 sobre chikungunya e sobre zika, outros dois vírus transmitidos pelo Aedes aegypti, mas confirmou a gravidade das endemias.

 

A chikungunya teve mais de 17 mil casos suspeitos, mas só 374 foram confirmados por diagnóstico laboratorial. Outros 6.350 foram confirmados por critério clínico e 8.926 não tiveram resultado conclusivo.

A maior parte dos municípios com casos de transmissão autóctones (não importados) está concentrada na Bahia, Sergipe, Alagoas e Pernambuco.

Como não existe teste sorológico para o zika, dados epidemiológicos são escassos, mas o Ministério da Saúde diz que ele já está presente em 18 estados do país. Houve confirmação de ao menos um caso em Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí, Maranhão, Tocantins, Mato Grosso, Pará, Amazonas, Amapá, Rondônia e Roraima.

A febre amarela, outra doença transmitida pelo Aedes aegypti, é considerada uma endemia sob controle, mas teve um caso suspeito em 2015, no Rio Grande do Norte. O Ministério da Saúde confirmou o caso em 29 de dezembro, mas o episódio havia ocorrido em junho e culminou com a morte da paciente. O caso continua sob investigação.

 

 

 

G1