Dengue aumenta 108% na PB, com 34 mortes suspeitas em cerca de seis meses

Dengue aumenta 108% na PB, com 34 mortes suspeitas em cerca de seis meses

No período de 1º de janeiro a 7 de julho deste ano (27ª semana epidemiológica de sintomas), foram notificados na Paraíba 35.044 casos prováveis de dengue, segundo o boletim divulgado nesta quarta-feira (13) pela Secretaria de Estado da Saúde (SES). Em 2015, no mesmo período, foram registrados 16.821 casos suspeitos da doença, evidenciando um aumento de 108,33%.

Foram notificados 34 óbitos suspeitos de dengue, sendo quatro confirmados, dez descartados e 20 seguem em investigação. Segundo a Gerência Executiva de Vigilância em Saúde da SES, a investigação cursa com busca de informações domiciliares, ambulatoriais e hospitalares, conforme Protocolo do Ministério da Saúde.

No mesmo período foram notificados 12.957 casos suspeitos de chikungunya. Foram notificados, também, 13 óbitos suspeitos da doença nos municípios de Monteiro (1), Aroeiras (1), João Pessoa (6), São José do Umbuzeiro (1), Soledade (1), Araruna (1) e Santa Cecília (1). Registrou-se, também, 14 óbitos de casos suspeitos de chikungunya, sendo três confirmados e os demais em investigação.

O Boletim Epidemiológico destaca que a faixa etária dos óbitos suspeitos para dengue e chikungunya varia de recém-nascido até 92 anos, o que mostra a susceptibilidade independente da idade.

Com relação ao zika vírus, de 1º de janeiro a 18 de junho de 2016, foram registrados 3.624 casos notificados como suspeitos (Sinan NET). Existem atualmente na Paraíba três Unidades Sentinelas do zika vírus implantadas (Bayeux, Campina Grande e Monteiro), conforme recomendação do Ministério da Saúde.

Quanto ao Zika, em 2015 foi detectada a doença aguda por este vírus nos municípios de João Pessoa, Campina Grande, Olivedos e Cajazeiras. Já em 2016, exames laboratoriais comprovaram a circulação da doença nos municípios de Caldas Brandão, João Pessoa, Guarabira, Conceição, Pilões, Itabaiana, Sapé e Campina Grande.

Sobre a chikungunya, em 2015, houve a confirmação laboratorial em Monteiro. Em 2016 já existem exames comprobatórios da circulação da doença em 87 municípios. Este ano foram analisadas no Lacen-PB 3.598 amostras sorológicas para chikungunya (1.916 reagentes, 1.580 não reagentes, 1 inconclusivo e 102 indeterminadas).

Guillain-Barré e outras manifestações neurológicas – Foram informados pelos serviços hospitalares, de julho de 2015 até o momento, 38 casos suspeitos, sendo 16 descartados, seis confirmados e 16 em investigação por suspeita de ter correlação com chikungunya e/ou zika vírus e/ou dengue.

 

 

 

 

 

 

Portal Correio