Demonstração de força: Até líderes de partidos governistas se juntam à Cunha na noite em Brasília e legitimam sua Presidência

Demonstração de força: Até líderes de partidos governistas se juntam à Cunha na noite em Brasília e legitimam sua Presidência
 O deputado Eduardo Cunha (PMDB), presidente da Câmara, foi denunciado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, mas a situação política dele parece mais sólida do que a da presidente Dilma Rousseff, que não tem sido incomodada por investigações do Ministério Público Federal.
 
Na noite desta segunda-feira, ele foi alvo de significativo gesto político, com verdadeira "invasão" de líderes de vários partidos, à exceção do PT e do PSOL, inclusive integramtes da base de apoio ao governo Dilma. Eles estavam ansiosos para conversar com Cunha sobre o fato novo deste início de semana: a decisão do vice-presidente Michel Temer, de abandonar a articulação política do governo.
 
Os líderes acorreram à residência de Eduardo Cunha tão logo ele retornou de sua viagem a São Paulo, onde recebeu desagravo de sindicalistas aliados e parricipou de um encontro com presidentes das assembléias legislativas estaduais.
 
O gesto dos líderes de partidos como PMDB, PSDB, PSD, DEM, PTB, Solidariedade, PR, PHS etc foi interpretado como de reconhecimento de que, apesar da denúncia de que o deputado foi alvo no Supremo Tribunal Federal, ele continua com legitimidade para permanecer na presidência da Câmara. 
 
 
 
 
 
 
 
 
Uol