Delegado federal do MDA na Paraíba denuncia "golpe" e entrega carta de renúncia

Delegado federal do MDA na Paraíba denuncia "golpe" e entrega carta de renúncia
Nesta quinta-feira, 19, o delegado do  federal do Desenvolvimento Agrário na Paraíba, Gonzaga Júnior, anunciou durante o Encontro Estadual dos Colegiados Territoriais que estava "entregando o cargo, denunciando o golpe e a ilegitimidade dos que agora ocupam o poder". A declaração foi feita  para os cerca de 200 representantes dos quinze Territórios Rurais de toda a Paraíba, além de professores universitários, sindicalistas, extensionistas agrícolas e sociais, membros de cooperativas e associações, indígenas e agricultores familiares. O encontro aconteceu na manhã de hoje no auditório do Hotel Netuanah, em João Pessoa.
 
Recebendo o apoio dos presentes, Gonzaga Júnior disse: "Não há espaço num governo golpista para os que defendem a democracia. Devemos denunciá-lo como ilegítimo, pois este será condenado pela organização popular dos trabalhadores e trabalhadoras, e pela própria história que os sucumbirá aos porões do esquecimento num futuro próximo. A história é feita por quem tem coragem de lutar. Aos traidores da democracia e seus apoiadores, apenas o desprezo". Simbolicamente, a Carta de entrega do cargo dada aos agricultores, que naquele momento eram os maiores representantes do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), órgão que foi extindo na última semana pelo presidente interino Michel Temer.  
 
Ainda dentro do seu discurso foram destacadas as ações do MDA na Paraíba, que  implantou diversas políticas públicas de geração de trabalho e renda para os agricultores familiares: "Tivemos R$ 30 bilhões no Plano Safra em 2016; 119 mil contratos no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) apenas em 2016; a priorização da participação das mulheres nos contratos do Pronaf; doação de cerca de 1.200 máquinas para 219 municípios; e ampliação na cota dos beneficiários do Garantia Safra, resultando na circulação de mais de R$105 mil na economia paraibana". 
 
Finalizando, Gonzaga Júnior, que é sociólogo e professor universitário, destacou que "um dos primeiros atos do governo golpista foi a extinção do MDA": "Com a extinção do MDA, estão ameaçadas as políticas públicas para a agricultura familiar, reforma agrária, agroecologia e desenvolvimento sustentável. Não interessa esse tipo de política e ação para um governo golpista, eles estão trabalhando e pensando na minoria, naqueles que se sentiram ofendidos com as oportunidades dadas aos que mais precisavam.  O empoderamento de vocês incomodou essa gente, mas agora é a nossa vez de incomodar".
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Parlamento PB