Defesa Civil teme colapso de água em Sergipe por causa da seca

Defesa Civil teme colapso de água em Sergipe por causa da seca

O coordenador Estadual da Defesa Civil, major Erivaldo Mendes, não descarta o risco de um colapso de água nos municípios sergipanos de Cedro de São João, Telha e Propriá, localizados no Baixo São Francisco, e também na capital, onde cerca de 60% do abastecimento vêm do Velho Chico. “Com a vazão do Rio São Francisco baixada para 700m3/s, a captação que a Deso faz fica comprometida e traz o risco de colapso no abastecimento nestas três cidades, além de atingir cerca de 1 milhão de pessoas na Grande Aracaju, que recebem água da Adutora do São Francisco”, declarou.

A captação da Adutora do São Francisco está localizada em Telha, a 107 quilômetros da capital, município que está entre os 18 de Sergipe em situação de emergência reconhecida pelo Governo do Estado, assim como Cedro de São João e Propriá, que aguardam a análise do Ministério da Integração Nacional.  “Este reconhecimento do Governo Federal é muito importante para a execução das ações emergenciais”, observou. 

Com a vazão do Rio São Francisco baixada para 700m3/s, a captação que a Deso faz fica comprometida"
Major Erivaldo Mendes, coord. Defesa Civil

A Defesa Civil de Sergipe já decretou situação de emergência nos municípios de Itabi, Frei Paulo, Macambira, Canindé de São Francisco, Capela, Gararu, Nossa Senhora da Glória, Nossa Senhora Aparecida, Pinhão, Poço Redondo, Poço Verde, São Domingos, Telha, Carira, Ribeirópolis, Propriá, Cedro de São João e Gracho Cardoso.

Mendes informou ainda que a Companhia de Desenvolvimento do Vale São Francisco (Codevasf) vai desenvolver uma dragagem de um canal, onde está situada a captações, para evitar o esgotamento da água.  “Então, precisa dessa emergência para que a obra seja feita de maneira mais célere pela companhia”, frisou  o coordenador.

Com a decretação federal, os municípios também passam a desfrutar de benefícios como a perfuração de poços e a operação carro-pipa, que é aplicada pelo Exército. Atualmente, o 28º Batalhão de Caçadores, situado em Aracaju, desenvolve um trabalho com 11 municípios de Sergipe e 22 da Bahia.

“Cerca de 200 mil pessoas estão sendo atendida pela operação carro-pipa. Os municípios são selecionados pela Secretaria de defesa Civil do Governo Federal e o Exército executa através do Ministério de Defesa e Comando de operação Terrestre”, explicou o comandante do 28º batalhão de Caçadores, coronel Marcos Aurélio Küster de Paula.

Reservatórios estão secando no município de Cedro de São João (Foto: Anderson Barbosa)Reservatórios estão secando no município de Cedro de São João (Foto: Anderson Barbosa/G1)

“O Estado tem ajudado aos municípios primeiro na decretação, já que o processo é muito técnico e precisam saber como fazer dentro da lei. Também desenvolve ações práticas como perfuração de poços em municípios que estão dentro do cenário de seca e na colocação de dessalinizadores”, explicou major Mendes.

José Carlos Morais, criador de gado (Foto: Anderson Barbosa)José Carlos, criador (Foto: Anderson Barbosa/G1)

O tom da seca
A estiagem prolongada tem devastado o verde da pastagem na Região do Baixo São Francisco, em Sergipe. No município de Cedro de São João, distante 89 km de Aracaju, os efeitos da seca podem ser observados em toda a sua extensão.

O céu azulado e com poucas nuvens não é um bom sinal para o homem do campo, que sabe que a chuva vai demorar para chegar. “A situação é triste. O ano passado foi até bom, mas este ano está assim, seco. Faz dois meses que não chove bem. Acredito que deve piorar ainda mais e vamos ter que esperar as trovoadas de inverno. Solo esgotado e pastagem seca afetam rebanho de gado”,  lamentou o criador José Carlos Moraes.

Para protegerem-se do sol forte, os animais buscam abrigo na sombra de juazeiros, que ainda resistem às altas temperaturas que chegam a 32º. Lagos e açudes começam a perder o volume de água, a terra começa a rachar e os animais entram num processo de perda de peso. “Quem tem gado de corte está matando para não ter mais prejuízo, mas vende a preço muito baixo. Já quem tem vaca leiteira, está gastando mais com ração que não está nada barato”, observou.

Cedro, Telha e Propriá são os últimos municípios que tiveram a decretação de estado e emergência aceita pelo Governo do Estado e nos próximos dias deve ter o reconhecimento do Ministério da Integração Nacional. “O problema da seca é predominante econômico, então a decretação viabiliza os produtores de terem acesso ao refinanciamento das suas dívidas, por terem perdido as lavouras”, disse o coordenador Estadual da Defesa Civil, major Erivaldo Mendes.

Água em Discussão
A crise de água na Região Nordeste e a situação do Rio São Francisco serão tratados no XIII Simpósio de Recursos Hídricos do Nordeste, entre os dias 8 e 11 de novembro no Hotel Radisson, em Aracaju. O evento é organizado pelaAssociação Brasileira de Recursos Hídricos (ABRH) e traz como tema “Governança da Água – Desafio para Integração do Nordeste no Presente e Futuro”.

O Simpósio de Recursos Hídricos tem como objetivo estimular e divulgar o conhecimento técnico-científico e está aberto para universitários, professores, empresários, consultores ambientais, profissionais ligados a recursos hídricos e meio ambiente,  representantes de organismos não-governamentais, representantes dos órgãos de Governo, entre outros.

Estiagem prolongada muda cenário no Baixo São Francisco de SE (Foto: Anderson Barbosa)Estiagem prolongada muda cenário no Baixo São Francisco de SE (Foto: Anderson Barbosa/G1)

 

 

G1