Cuba anistia mais de 3,5 mil presos antes da visita do papa Francisco

Cuba anistia mais de 3,5 mil presos antes da visita do papa Francisco

As autoridades cubanas decidiram anistiar mais de 3.500 prisioneiros por ocasião da visita do papa Francisco, prevista para este mês, anunciou nesta sexta-feira (11) o diário oficial Granma. De acordo com comunicado, a medida é a mesma aplicada antes das visitas de João Paulo II e Bento XVI.

Segundo o governo, entre aqueles que receberam o indulto estão "pessoas com mais de 60 anos de idade, jovens menores de 20 anos sem cadastro criminoso, doentes crônicos, mulheres, vários que cumpriram o prazo estabelecido para a liberdade condicional no ano de 2016 e uma parte daqueles que cumprem a sanção e trabalham em condições abertas, bem como estrangeiros".

O Conselho de Estado ressaltou que entre os libertados não está ninguém que tenha cometido um crime considerado grave, como homicídio, estupro, corrupção de menores ou por "delitos contra a segurança do Estado". Já os estrangeiros que receberam o benefício deverão voltar rapidamente aos seus países de origem.

A visita do Pontífice a Cuba ocorrerá entre os dias 19 e 22 de setembro e ele celebrará três grandes missas para a população: uma no dia 20, em Havana, outra no dia seguinte, em Holguín, e a terceira em Santiago de Cuba, no dia 22.

 

 

 

IG