Criança vítima de estupro é resgatada após enviar mensagem de celular

Criança vítima de estupro é resgatada após enviar mensagem de celular

De acordo com a PM, a menina saiu de casa na última quarta-feira (7) dizendo aos pais que iria até a escola em que estudava. No entanto, sumiu e só mandou notícias no domingo (11).

Segundo o pai, ela enviou uma mensagem dizendo que estava bem, mas por um número de celular desconhecido. “Aí eu joguei esse número no Whatsapp e apareceu uma foto de identificação. Nela apareciam três homens e a placa de um carro no fundo. Aí levei isso para a polícia”, contou.

A partir da placa do veículo, a PM conseguiu identificar os suspeitos e encontrar a casa onde a menina estava, na Vila Pedroso. No momento da abordagem, ela estava acompanhada por dois homens, de 24 e 43 anos. Segundo a corporação, apenas o mais novo confessou que mantinha relações sexuais com a criança.

“Ela estava em um local escondido, um barracão, já totalmente preparado para esse tipo de ato ilícito. Segundo informações de vizinhos e da Inteligência da PM, ali era um ponto onde jovens ingeriam bebidas alcoólicas e praticavam atos sexuais”, explicou o tenente Célio Moura.

Imagens divulgadas pela corporação mostram o local em que a garota estava. Nas imagens é possível ver que a casa estava muito suja e um dos policiais comenta sobre o mau cheiro: “Olha, como é que pode isso aqui. É uma carniça”, disse.

Na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), a garota disse que durante os dias em que permaneceu na casa havia sido estuprada por um dos detidos e por um terceiro homem, que ainda não foi identificado. Ela foi encaminhada ao Instituto Médico Legal (IML), onde foi submetida a exames, que comprovaram a conjunção carnal.

“Embora ela relate que tenha consentido com a prática sexual, pela idade dela, ou seja, uma criança de 11 anos, a pessoa que teve relacionamento com ela a estuprou. Então esses homens estão sendo presos por isso”, explicou a delegada Laura Castanho Teixeira.

Além disso, a garota relatou que conheceu os suspeitos por meio de outras duas amigas, que também são menores. A Polícia Civil diz que vai ouvir as meninas nos próximos dias.

Já o pai da garota diz que errou as não prestar muita atenção nas amizades da filha, porém vai mudar de postura. “Agora é uma sensação de alívio, muito boa, maravilhosa, mas é o que eu digo para os pais: monitorem seus filhos, olhem as redes sociais, vejam com quem eles estão andando. Eu, infelizmente, nessa parte falhei. Mas graças a Deus eu corri atrás e consegui”, afirmou.

 

G1