CPI da Petrobras terá primeira reunião nesta quarta-feira

CPI da Petrobras terá primeira reunião nesta quarta-feira

O senador João Alberto Souza (PMDB-MA) convocou para esta quarta-feira (14), às 11h30, a primeira reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras no Senado. A sessão formalizará a instalação efetiva do colegiado que investigará denúncias contra a petroleira.

Por ser o integrante mais idoso da CPI, coube ao senador João Alberto convocar a reunião. O presidente Renan Calheiros (PMDB-AL) cumpriu nesta terça-feira (13) a última etapa formal que restava para a instalação do colegiado.

Diante da recusa da oposição em escolher seus membros, Calheiros indicou os senadores de Goiás Cyro Miranda (PSDB), Wilder Morais (DEM) e Lúcia Vânia (PSDB) para a CPI. Apenas Cyro Miranda, porém, deverá permanecer porque Vânia e Morais pediram a retirada das suas indicações.

À noite, a Secretaria-Geral da Mesa informou que mesmo sem substitutos para Lúcia Vânia e Wilder Morais, a comissão poderá funcionar normalmente, porque as deliberações dependem de maioria simples. Além disso, há oito suplentes que também poderão participar das sessões.

Na primeira reunião da CPI, os integrantes vão eleger o presidente, que em seguida escolhe o relator. Maior bancada na Casa, o PMDB deverá indicar Vital do Rêgo (PMDB-PB) para a relatoria enquanto o PT poderá apontar José Pimentel (PT-CE) para a presidência. Ainda na sessão desta quarta, a comissão deverá aprovar seu cronograma de trabalho.

Também vão integrar a CPI os senadores governistas Valdir Raupp (PMDB-RO), Ciro Nogueira (PP-PI), Aníbal Diniz (PT-AC), Humberto Costa (PT-PE), Acir Gurgacz (PDT-RO), Antonio Carlos Rodrigues (PR-SP) e Gim Argello (PTB-DF).


CPI mista

Defendida pela oposição, a CPI mista da Petrobras, com participação de senadores e deputados, está em estágio menos avançado que a comissão restrita aos senadores.

O presidente Calheiros pediu na quarta-feira (7) aos líderes partidários a indicação dos integrantes do colegiado. Os partidos têm prazo de cinco sessões ordinárias da Câmara para escolher os nomes, o que poderá ficar para a próxima semana, já que a Casa até o momento só teve duas sessões com quórum mínimo de 51 deputados.

PT e PROS são os únicos partidos que ainda não escolheram seus parlamentares. Caso se recusem, também caberá a Calheiros indicar os integrantes.



G1