Costa Rica vence Grécia nos pênaltis e garante vaga inédita

Costa Rica vence Grécia nos pênaltis e garante vaga inédita

A Costa Rica conquistou um lugar nas quartas de final da Copa do Mundo pela primeira vez em sua história, após superar a Grécia hoje (29), no Recife. Mas a vaga veio com requintes de crueldade para os torcedores. Vencendo durante todo o segundo tempo, sofreu o gol de empate no final da partida, o que prorrogou o jogo e o drama ainda mais o drama. Após 1x1 no tempo normal, a vitória só chegou na disputa de pênaltis.

Talvez a condição de favorita após uma boa primeira fase não tenha feito bem à Costa Rica. O time da América Central tentou imprimir seu ritmo de jogo mas encontrou uma Grécia bem armada na defesa e oferecendo perigo nos ataques.

Aos seis minutos, a Costa Rica chegou à área da Grécia, com Bolaños, mas o chute foi para fora. A Costa Rica, no entanto, foi, aos poucos, dominando as ações do jogo. Boas investidas de Campbell, Bolaños e Ruiz obrigaram a defesa grega a ter mais atenção.
 
Apesar dos costa-riquenhos dominarem as ações, os gregos não abdicaram de atacar e arriscavam chutes a gol e lançamentos na área. Aos 36 minutos, o atacante Salpingidis foi lançado e, dividindo com o zagueiro, tocou para o gol. O placar só não foi aberto porque o goleiro Navas fez ótima defesa com a perna. Foi o melhor lance do primeiro tempo.
 
No segundo tempo, a Grécia começou melhor, mas foi justamente nesse momento que a Costa Rica chegou a seu gol. Aos seis minutos, Bolaños tocou para Ruiz que, da entrada da área, bateu colocado. A bola deslizou no canto direito, para o fundo das redes, inalcançável para o goleiro Karnezis.
 
Atrás no placar, a Grécia tentava pressionar a Costa Rica, mas não conseguia assustar o goleiro Navas. O trabalho até ficou mais fácil, após a expulsão de Óscar Duarte, aos 21 minutos. O defensor já tinha cartão amarelo e recebeu o segundo (e consequentemente, o vermelho), após falta em Cholevas.
 
Tentando se aproveitar da fragilidade do adversário na defesa, o treinador da Grécia encheu o time de atacantes. Apesar disso, a primeira boa oportunidade no segundo tempo foi só aos 42 minutos. Christodoulopoulos passou bem pelo zagueiro na linha de fundo e cruzou para o meio da área. Mesmo com quatro atacantes em campo, os gregos não finalizaram a gol.
 
Mesmo sem sofrer muitos sustos, a Costa Rica recuou demais, chamando os gregos para sua área. Aos 45 minutos, veio o castigo. Em outro lançamento na área costa-riquenha, Mitroglou chutou, Navas defendeu, mas Sokratis aproveitou o rebote e colocou nas redes, repondo a Grécia no jogo, a caminho da prorrogação.
 
O tempo extra começou com a Costa Rica esperando a Grécia. Com um a menos, o time latino viu a Grécia quase passar à frente após uma cabeçada de Gekas, aos quatro minutos. A Costa Rica continuou recuada e viu a Grécia pressionar. Os costa-riquenhos pareciam querer levar o jogo para os pênaltis. Praticamente isolado no ataque, Campbell tentava fazer alguma coisa, mas o cansaço era visível.
 
Mesmo extenuados, os costa-riquenhos conseguiram sobreviver à prorrogação. Aos gregos, restava apostar nos jogadores de ataque mais descansados, que entraram no decorrer da partida, para converter os pênaltis. A disputa de penalidades foi equilibrada, com cobranças bem executadas, dificultando o trabalho dos goleiros. Mesmo aparentando mais cansaço, os batedores costa-riquenhos convertiam suas penalidades com frieza e categoria. Do lado da Grécia, o atacante Gekas acabou parando no goleiro Navas. Em seguida, o zagueiro Umaña converteu a última cobrança da Costa Rica e deu início à festa no gramado e em seu país.
 
Agora, a Costa Rica entra no caminho da Holanda nas quartas de final. A partida será no próximo sábado (5), em Salvador, às 17h, horário de Brasília. O time latino volta à condição de “azarão”, após superar – com autoridade – Itália e Uruguai no chamado “grupo da morte”.
 
(Agência Brasil)