Correspondências atrasadas não foram entregues após um mês do fim da greve dos Correios

Correspondências atrasadas não foram entregues após um mês do fim da greve dos Correios

Desde o fim da greve a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) não conseguiu entregar todas as correspondências guardadas. A paralisação dos funcionários durou mais de um mês, neste período cerca de três milhões de correspondências ficaram paradas na central de distribuição da ECT na capital.  O representante dos trabalhadores dos correios, Husman Tavares  afirmou que o número de funcionário é insuficiente.

A expectativa era que em um mês as entregas fossem normalizadas, mas até o momento somente um milhão de correspondências foram entregues. “Pedimos que seja feita as contratações das pessoas que foram aprovadas no concurso público, pois já fizeram os exames e estão prontos para exercer a função e manter as entregas em dia”, afirmou.

Os objetos estavam parados e mais de 200 mil correspondências chegam diariamente, afirmou o diretor regional dos Correios, José Antonio Trajano. “O que estava parado, nós estamos entregando e é preciso entender que todo o dia chega correspondência. Além de entregarmos o material que chega a gente também entregar aquelas que estavam paradas, portanto a prioridade é para os objetos que chegam no dia”, avisou Trajano.

 

De acordo com o diretor as pessoas que tem urgência no recebimento dos objetos podem procurar a sede dos Correios no bairro Água Fria em João Pessoa. Ele ainda disse que se a pessoa achar que não chegou naquele momento, ela deve procurar o centro administrativo, pois os funcionários farão todo o atendimento e orientará as pessoas e inclusive se o objeto estiver na central será entregue.

Com informações da Rádio CBN


Wagner Mariano