Correios está a poucos passos de liberar o edital; serão oferecidas 2 mil vagas com salários de até R$ 3 mil

Correios está a poucos passos de liberar o edital; serão oferecidas 2 mil vagas com salários de até R$ 3 mil
É grande a expectativa pela divulgação da organizadora do concurso da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. De acordo com a estatal, a instituição será escolhida por meio de dispensa de licitação. Com isso, caso a empresa mantenha o sigilo em torno do assunto, o nome da escolhida poderá ser conhecido com a publicação do extrato da dispensa no Diário Oficial da União (DOU). No último dia 2, os Correios informaram que a escolha está sendo finalizada. O edital da seleção já está pronto e deverá ser divulgado logo após a contratação da organizadora, segundo uma fonte ligada ao processo de preparação do concurso. De acordo com os Correios, após a escolha da instituição, será possível precisar a data de divulgação do edital, que inicialmente estava prevista para até o fim de agosto.

Serão oferecidas cerca de 2 mil vagas no cargo de agente de Correios, nas atividades de carteiro e operador de triagem e transbordo, ambas com requisito de ensino médio completo. A remuneração inicial oferecida é de pelo menos R$2.592,46 para carteiro e de, no mínimo, R$2.255,96 para operador, já incluindo vale-alimentação/refeição, Gratificação de Incentivo à Produção (GIP) e adicional de distribuição (apenas carteiro). Considerando-se diferentes benefícios e adicionais, os valores poderão chegar a R$3 mil aproximadamente, segundo os Correios.
A seleção contará com 144 vagas no Rio de Janeiro, distribuídas pela capital, Angra dos Reis, Cabo Frio, Macaé e Nova Friburgo. A informação consta no projeto básico do concurso, enviado às organizadoras, ao qual a FOLHA DIRIGIDA teve acesso. Além do Rio, haverá vagas para São Paulo, Minas Gerais, Amazonas, Bahia, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pernambuco, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, além do Distrito Federal. As chances serão apenas para a função e localidade onde o cadastro de reserva do último concurso, de 2011, já expirou.
O concurso também servirá à formação de cadastro de reserva, possibilitando a convocação de mais aprovados ao longo da validade da seleção, o que já foi garantido pelo presidente dos Correios, Wagner Pinheiro. “Mais gente será chamada”, disse ele. A expectativa é que no Rio as convocações possam suprir a demanda no estado, que é de pelo menos 700 trabalhadores, segundo o secretário-geral do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios no Rio de Janeiro (Sintect-RJ), Ronaldo Martins. A seleção será feita por meio de provas objetivas, teste de esforço físico e exame médico admissional, para os convocados. O projeto básico da seleção confirma que estão previstas 50 questões sobre Língua Portuguesa e Matemática, já tradicionais nos concursos dos Correios, além de Conhecimentos Gerais, que entra no lugar de Informática.
 

Veja esboço do programa do concurso

Para orientação dos futuros candidatos do concurso para carteiro e operador de triagem e transbordo dos Correios, FOLHA DIRIGIDA publica o esboço do programa da seleção, que será apresentado pela estatal à organizadora da seleção. Não perca tempo e inicie logo os estudos:

LÍNGUA PORTUGUESA: 1 Compreensão e interpretação de textos. 2 Ortografia oficial. 3 Acentuação gráfica. 4 Emprego das classes de palavras: nome pronome, verbo, preposições e conjunções. 5 Emprego do sinal indicativo de crase. 6 Sintaxe da oração e do período. 7 Pontuação. 8 Concordância nominal e verbal. 9 Regência nominal e verbal. 10 Significação das palavras. 11 Formação de palavras.

MATEMÁTICA: 1 Números relativos inteiros e fracionários, operações e propriedades. 2 Múltiplos e divisores, máximo divisor comum e mínimo múltiplo comum. 3 Números reais. 4 Expressões numéricas. 5 Equações e sistemas de equações de 1o grau. 6 Sistemas de medida de tempo. 7 Sistema métrico decimal. 8 Números e grandezas diretamente e inversamente proporcionais. 9 Regra de três simples. 10 Porcentagem. 11 Taxas de juros simples e compostas, capital, montante e desconto. 12 Princípios de geometria: perímetro, área e volume.

CONHECIMENTOS GERAIS: 1.Organização das administração pública no Brasil a partir da Constituição Federal de 1988. 2.Conceitos relativos às administrações direta e indireta. 3.Diferenças entre autarquias, fundações e empresas públicas. 4.Agentes públicos. 5.Estatuto da ECT.



Português: exercícios são essenciais

Para orientar os futuros candidatos ao concurso de carteiro dos Correios, o professor Bruno Leal, do Curso Sem Dúvidas, em entrevista à FOLHA DIRIGIDA, deu dicas para aqueles que querem começar a estudar desde agora, mesmo sem a divulgação da banca organizadora. “O candidato, nesse período pré-edital, precisa aprender e dominar pelo menos os assuntos básicos e os mais importantes, sem se preocupar tanto com questões de concursos nem com bancas. Precisa fazer o máximo de exercícios que puder, massificar conteúdos, tirar dúvidas, enfim, se preocupar em aprender a matéria. Quando sair a organizadora do concurso, começa uma nova etapa, na qual o candidato precisará conhecer o estilo da banca, resolvendo provas anteriores da mesma”, aconselha.

Em relação às questões do concurso anterior, o professor destaca que o candidato não deve esperar muitas diferenças em relação ao concurso passado. “Os assuntos devem ser os mesmos, e deverão ser 20 questões novamente”. Entre os assuntos mais importantes do programa anterior, ele destaca que é possível que a banca consiga abordar praticamente todo o conteúdo programático. “Entretanto, há assuntos que certamente cairão. Dentre os quais, destaco: pontuação, regência (nominal e verbal), concordância (nominal e verbal), crase, verbos, valor semântico das conjunções e colocação pronominal.”
Sobre a maneira que o candidato deve estudar, Bruno afirma que as bancas costumam ser muito repetitivas, se tornando até mesmo previsíveis, o que é um trunfo para o candidato que as conhece. “Os exercícios são essenciais para a assimilação dos muitos conteúdos cobrados pela banca. A resolução de provas anteriores serve para que o candidato conheça o estilo da organizadora, os assuntos mais cobrados e o grau de dificuldade”. O especialista acredita que a prova não será especificamente de cunho gramatical ou interpretação de texto, mas que tenha um equilíbrio entre o número de questões. “Inclusive, a tendência é que as questões de gramática estejam, de certa maneira, correlacionadas aos textos. Insisto que o candidato, para estar bem preparado, precisa conhecer bem a organizadora. Sendo assim, não haverá surpresas.” Para esse momento anterior ao edital, o professor indica como blibliografia “A Gramática para Concursos Públicos”, de Fernando Pestana.
 
 
 
 

Folha Dirigida