Coronel da PM é preso acusado de estuprar menina de 2 anos

Coronel da PM é preso acusado de estuprar menina de 2 anos

Um coronel reformado da Polícia Militar foi preso, na madrugada deste domingo, com uma criança de 2 anos do sexo feminino que estava completamente nua dentro do seu veículo. O flagrante foi feito por policiais do 22º BPM (Benfica), na Rua Barreiros, no Complexo da Maré. Ao perceber que os pms dariam prosseguimento a ocorrência, o oficial ainda tentou subornar os militares. Pedro Chavarry Duarte, de 62 anos, é o atual presidente da Caixa Beneficente da Polícia Militar do Rio de Janeiro.

De acordo com informações passadas pelos PMs que levaram o coronel para a Cidade da Polícia, no Jacaré, uma denúncia anônima dava conta de que um homem estava com uma criança nua e que chorava muito, dentro de um veículo Jetta branco estacionando em um posto de gasolina. Ao chegarem no local, os policiais constataram que se tratava do coronel Chavarry Duarte.

Depois de se identificar, o coronel pediu para que os policias não dessem prosseguimento à ocorrência e que resolvessem a situação ali mesmo. Percebendo que estava sendo subornado, um dos policiais passou a filmar o oficial que chegou a falar: “Resolvo tudo na segunda-feira. Na segunda vai fazer sol. Tá ventando, hoje. Vamos acabar com essa ocorrência”. Ainda de acordo com o relato dos PMs que participaram da prisão, o oficial ainda ofereceu vantagens e fez gestos como se estivesse oferecendo dinheiro.

Passados alguns minutos, uma mulher, ainda não identificada, apareceu no local e informou que a mãe da menina estava presa e que ela era responsável por tomar conta da criança. Logo depois, uma outra mulher chegou ao local com a certidão de nascimento da menina. Ela afirmou para os PMs que o oficial dava dinheiro para sair com a garotinha.

De acordo com a Polícia Civil, a delegada Carolina Marins, da Central de Garantias, após apreciar as provas, autuou em flagrante o coronel reformado pelos crimes de estupro de vulnerável e corrupção ativa. A criança foi entregue aos responsáveis legais e será encaminhada à Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (DCAV) para entrevista de revelação. Cópias do procedimento serão encaminhadas ao Conselho Tutelar, para garantir a assistência à criança, e à 21ª DP (Bonsucesso) para prosseguir na investigação quanto a possíveis envolvidos no crime.

 

 

Extra