Conversa com Cunha antecipa volta de Hugo Motta à Brasília

Conversa com Cunha antecipa volta de Hugo Motta à Brasília

A dois dias do procurador geral da República, Rodrigo Janot, apresentar ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedidos de abertura de investigação e eventuais denúncias contra políticos suspeitos de envolvimento no esquema de corrupção da Petrobras investigado na Operação Lava Jato, o deputado Hugo Motta (PMDB-PB), presidente da CPI da Petrobras, foi chamado às pressas a Brasília pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para uma reunião.

Motta estava na Paraíba, onde cumpriria agenda nesta segunda-feira (02) e se deslocaria para o Distrito Federal apenas no período da noite, mas, após conversa com Cunha, antecipou a viagem.

Tensão

Entre integrantes da bancada federal paraibana impera o receio de citação na operação Lava Jato, cuja nova fase deve redundar na divulgação de nomes de políticos possivelmente beneficiados, direta ou indiretamente, pelos desvios de recursos na Petrobrás.

Nas rodas de conversas políticas, o assunto é recorrente e traz notória preocupação principalmente aos parlamentares que estão em Brasília desde a legislatura anterior.

O medo reside entre aqueles integrantes da bancada governista na Câmara Federal. A maioria dos parlamentares paraibanos esteve no bloco de apoio à presidente Dilma no mandato passado.

Na Paraíba, deputados estaduais revelam em conversas reservadas o que têm ouvido depoimentos de colegas de Brasília. Poucos, entretanto, têm coragem de declinar nomes.

MaisPB