Confiança do consumidor paraibano cresce em julho, aponta Fecomércio

Confiança do consumidor paraibano cresce em julho, aponta Fecomércio

O consumidor da Região Metropolitana de João Pessoa esteve mais confiante em julho. O nível de confiança cresceu pelo segundo mês consecutivo e registrou alta de 1,22% em comparação ao mês anterior, atingindo 109,31 pontos. A Pesquisa do Índice de Confiança do Consumidor (ICC) é realizada pelo Instituto Fecomércio de Pesquisas Econômicas e Sociais da Paraíba (IFEP).

O índice funciona como um termômetro da atividade econômica, pois quanto maior a confiança do consumidor, maior a disposição das pessoas a realizarem compras, o que mantém a economia em aquecimento.  

"Este resultado positivo do nível de confiança do consumidor paraibano ocorrido em julho foi influenciado, em parte, pelo aumento do nível de renda e emprego formal na Paraíba e pela realização da Copa do Mundo", analisou o Presidente da Fecomércio Paraíba, Marconi Medeiros.

Já na comparação anual, houve uma retração de 2,26%. O ICC passou de 111,846 pontos em julho de 2013 para 109,31 em julho deste ano. É importante lembrar que a escala que mede a confiança do consumidor varia de 0 a 200 pontos. Abaixo de 100 pontos é considerado pessimismo e, acima deste nível, indica otimismo.     

Na análise por gênero, tanto os homens (1,43%) como as mulheres (0,96%) estão mais confiantes. O nível de confiança dos homens registrou 108,67 pontos em julho e o das mulheres 110,01. Na avaliação por escolaridade, o ICC subiu mais entre os que concluíram o Ensino Médio (1,93%), passando de 105,27 pontos em junho/2014 para 107,30 pontos em julho. Por estado civil, os consumidores casados ou em regime de união estável foram os que registraram a maior alta (1,63%) E, na análise por renda, os consumidores que recebem entre três e quatro salários mínimos foram os que mais expandiram a confiança, alta de 1,75%.

A pesquisa compreende dois sub-indicadores: Índice das Condições Econômicas Atuais (ICEA) e Índice de Expectativa do Consumidor (IEC). Os resultados dos dois índices influenciaram positivamente o ICC em julho. O ICEA, que mensura o sentimento do consumidor em relação à sua situação atual, registrou um aumento de 1,67%. Já o IEC, que mede a confiança em relação à sua situação futura, apresentou uma alta de 0,87%. Entre os itens relacionados à situação atual dos entrevistados, a parcela de consumidores que avaliou como "melhor" a atual situação família subiu de 27,43% em junho para 28,82% em julho. Entre os quesitos relacionados à situação futura da família, o percentual de entrevistados que avaliaram como "melhor" subiu de 48,35% em junho para 49,51% em julho.

Quanto à avaliação dos consumidores em relação à estabilidade de seus empregos para os próximos três meses, a pesquisa revelou que a parcela de entrevistados que se sentiram "seguros" em relação à sua estabilidade financeira subiu de 56,76% em junho/2014 para 58,45% em julho/2014. Neste mesmo período, o percentual de entrevistados que se sentiram "nada seguro" caiu de 5,71% para 4,87%.

 

 

            Metodologia

            A pesquisa realizada pelo IFEP entrevistou, aproximadamente, 400 consumidores na Região Metropolitana de João Pessoa nos dez primeiros dias do mês. O levantamento foi desenvolvido com base no Consumer Confidence Index, da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, e adequado à realidade paraibana. O principal objetivo é fazer diagnóstico de um conjunto de informações econômicas sobre as condições correntes e futuras esperadas pelos consumidores em níveis micro e macroeconômicos.

 

Click PB