Conferência: Violência contra as mulheres negras na Paraíba é tema de discussão

Conferência: Violência contra as mulheres negras na Paraíba é tema de discussão

No mês em que a Lei Maria da Penha completa dez anos, é importante discutir por que a violência contra as mulheres – especialmente as mulheres negras –, e a violência doméstica ainda crescem na maioria dos estados brasileiros. Esta será uma das discussões do Seminário de 10 anos da Lei Maria da Penha: interfaces entre o racismo e a violência doméstica, que será realizado nesta sexta, 19, às 14h, no Auditório do CCJ/UFPB, em João Pessoa. A conferência de abertura será feita pela médica e especialista Jurema Werneck, coordenadora da organização Criola, do Rio de Janeiro.

Dois terços das mulheres mortas de forma violenta na Paraíba são negras, de acordo com o Mapa da Violência 2015. O estudo também aponta o Estado no segundo lugar em crescimento de homicídios de mulheres no Brasil entre os anos de 2003 e 2013. Como base nesta realidade, o seminário pretende refletir sobre os 10 anos da Lei Maria da Penha e os desafios do enfrentamento à violência doméstica e familiar contra as mulheres e o racismo. Contará ainda com a participação de integrantes do movimento feminista, pesquisadoras e gestoras(es) públicas para aprofundar a discussão sobre a violência contra as mulheres negras e estratégias de enfrentamento no plano local. A atividade terá ainda ações afro-culturais, com a performance Desenrolar, de Fernanda Ferreira e será encerrada pelo grupo de música e dança As Calungas.

Jurema Werneck - Médica, mestre em Engenharia de Produção pela Coordenação dos Programas de Pós-graduação de Engenharia, UFRJ (2000) e doutora em Comunicação e Cultura pela Escola de Comunicação da UFRJ (2007). Nasceu no Morro dos Cabritos em Copacabana, Rio de Janeiro. Recebeu da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro o título de Cidadã Benemérita do Estado do Rio de Janeiro. Integra o Board of Directors de Global Fund for Women. Tem artigos e livros publicados sobre população negra, cultura negra, situação das mulheres negras, feminismo; racismo; saúde das mulheres negras, direitos sexuais e reprodutivos; políticas públicas para equidade de gênero e raça; saúde da população negra, bioética e direitos humanos.

Organização na Paraíba: Cunhã Coletivo Feminista, Bamidelê - Organização de Mulheres Negras, Grupo Marias/CRDH/UFPB, Abayomi – Coletiva de Mulheres Negras, Rede de Mulheres em Articulação da Paraíba, Grupo Maria Quitéria, Grupo de Estudo, Pesquisa e Extensão sobre Serviço Social e Pol. Púb. para as Mulheres (GEPESS/UFPB), Articulação de Mulheres Brasileiras e Articulação de Mulheres Negras Brasileiras.

Campanha nacional – O seminário faz parte de uma mobilização nacional pelos 10 anos da Lei Maria da Penha. A campanha nacional Eu falo sem medo, e você? é uma iniciativa do Fundo Elas e Instituto Avon/Fale sem medo e conta com uma rede de 33 grupos e organizações sociais que atuam no enfrentamento à violência doméstica em todo o Brasil.

 

 

 

Assessoria