Condução coercitiva de Lula foi 'violência injustificável', diz Dilma após visitar ex-presidente

Condução coercitiva de Lula foi 'violência injustificável', diz Dilma após visitar ex-presidente

A presidente Dilma Rousseff classificou, em conversas com interlocutores, como "violência injustificável" a condução coercitiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para depoimento à Polícia Federal na manhã da sexta-feira (4).

Na visita a Lula, Dilma disse, neste sábado, que a operação para tomada de depoimento de Lula tinha caráter "midiático" e "espetaculoso".

De acordo com relatos dos presentes, Dilma abraçou dona Marisa Letícia, a mulher de Lula, após saber que o colchão do casal fora revirado pelos agentes policiais que, na manhã de sexta-feira, chegaram ao apartamento do ex-presidente. Ela desejou-lhes "força e ânimo".

Lula e sua mulher relataram aos visitantes detalhes da operação, contando que todos os celulares foram levados pelos policiais, inclusive os usados pelos oficiais do Exército encarregados da segurança do ex-presidente.

Luís Cláudio, filho do ex-presidente, contou que todos os documentos de sua casa foram levados, até mesmo os referentes ao trabalho de sua mulher.

Na véspera, os diretores do Instituto Lula contaram ao ex-presidente que o forro do casarão tinha sido revistado, além de arquivos e armários. Computadores, pen drives e agendas foram levados pela Polícia Federal.

Segundo colaboradores do instituto, 60 agentes armados entraram no prédio e foram atendidos por três mulheres, cujos celulares foram retidos.

 

 

 

 

Folha de São Paulo