Concurso elege cadeirante e bailarina as 'novas musas' do topless no Rio

Concurso elege cadeirante e bailarina as 'novas musas' do topless no Rio

O concurso Nova Musa do Toplessaço anuncia nesta quarta-feira (17) uma dupla de vencedoras. Natache Iamaya, ganhadora pelo voto do júri oficial, tem 32 anos e desde os 13 anos convive com uma doença degenerativa, que a colocou numa cadeira de rodas. Karla Klemente, de 31 anos, eleita pelo júri popular, é bailarina, coreógrafa e atriz.

"Resolvemos eleger duas musas, uma representante do júri oficial e a outra do popular, pois achamos que elas traduzem o espírito do nosso movimento. A Natache com seu rosto e gestos de menina e a garra de uma leoa. E a Karla, que é um furacão de sensualidade com a leveza de uma bailarina", afirmou a organizadora – e musa – Ana Paula Nogueira, do Movimento Top Less in Rio.

O concurso teve mais de 50 inscritas e 10 finalistas que cumpriram todas as etapas do regulamento. O formulário incluiu dizer o que uma mulher precisa para ser musa e como definiria o Rio de Janeiro.

'Além do topless', diz ganhadora
A cadeirante Natache ficou radiante. Segundo ela, seu ideal vai muito além do topless.

"Eu fiz campanha para votarem, divulguei muitas informações no Facebook. De certa forma, todos me incentivaram e deram muito apoio. É muito novo uma deficiente participar de um concurso de beleza e lutando por um ideal que vai além do topless, porque a minha intenção não é aparecer de peito de fora. Meu objetivo é combate preconceitos e estereótipos. Esse concurso é uma forma de luta contra tudo isso”, disse Natacha.

O concurso foi online e as 10 finalistas foram avaliadas também pelo público. O júri oficial foi formado pelo dono da agência 40 graus Models, Sérgio Mattos; o fotógrafo Marcelo Faustini; o empresário Humberto Saade; o cantor Otto; o artista Willian Vorhees, o fotógrafo Ilan Pellenberg, o artista plástico Martin Ogolter, entre outros.

 

Histórico do 'toplessaço'
A primeira edição do Toplessaço, no fim de 2013, ficou vazia. O mau tempo e a superexposição deixaram muitas mulheres envergonhadas. Das 5 mil pessoas confirmadas em uma rede social, não apareceram mais de 20.

"Aquele mixou e ficou uma vergonha. É no segundo que a gente vai mostrar quem é a nova musa, em carne e osso. Será a primeira vez que ela será apresentada ao vivo", explica a organizadora do concurso, que não estava à frente do projeto na primeira edição. Simpática ao toplessaço, porém, ela compareceu e foi uma das poucas que, de fato, deixou os seios descobertos.

Inspirado na Marcha das Vadias, o evento tinha como finalidade confrontar o machismo e pedir a liberação do topless nas praias cariocas. A votação aconteceu pelo site toplessinrio.com.

 

 

G1