Companhias aéreas brasileiras terão de manter dois tripulantes o tempo todo na cabine do avião

Companhias aéreas brasileiras terão de manter dois tripulantes o tempo todo na cabine do avião

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) comunicou nesta terça-feira (31), que todas as empresas de aviação brasileiras deverão manter pelo menos duas pessoas permaneçam nas cabines de comando de uma aeronave em todas as fases do voo. Isso significa que, caso um dos comandantes precise se ausentar da cabine, um comissário deverá ficar lá dentro.

A recomendação vem uma semana após o acidente com o Airbus A320 da Germanwings. De acordo com investigadores, o copiloto da aeronave, Andreas Lubitz, deliberadamente derrubou o avião após ficar sozinho dentro da cabine de comando, quando o piloto foi ao banheiro. Todas as 150 pessoas a bordo morreram na queda.

A norma já foi adotada em diversos países do mundo. Entre as empresas brasileiras, apenas a TAM confirmou que já contava com o procedimento - recomendado desde os atentados de 11 de setembro de 2001 pelas autoridades de aviação americanas - em seu manual de operações gerais mesmo antes do acidente.

Segundo a assessoria de imprensa da Anac, a recomendação passa a vigorar imediatamente, e todas as empresas brasileiras já foram comunicadas sobre a nova regra. O dispositivo, segundo a agência, pode ser revisto em função "de sua execução ou de novas informações sobre o acidente com o voo 4U9525."

A caixa-preta com os parâmetros de voo da aeronave da Germanwings ainda não foi encontrada e, de acordo com os investigadores, pode ajudar a esclarecer as circunstâncias do acidente.

Procurada pelo Brasil Post, a Azul Linhas Aéreas afirmou que "segue rigorosamente todas as recomendações e determinações da Agência Nacional de Aviação Civil". Sua assessoria de imprensa disse ainda que a regra será posta em prática o quanto antes.

A Gol e a Avianca também foram procuradas pela reportagem, mas ainda não se manifestaram.

 
 
 
 

Brasil Post