Com ajuda do governo suiço, José Maria Marin diz 'não' para extradição

Com ajuda do governo suiço, José Maria Marin diz 'não' para extradição

O ex-presidente da CBF José Maria Marin se recusa a ser extraditado voluntariamente aos Estados Unidos e contrata para uma longa batalha jurídica um ex-chefe do Departamento de Justiça da Suíça. Nesta terça-feira, as autoridades suíças realizaram a primeira audiência com o cartola, preso desde o dia 27 de maio em Zurique, a pedido dos EUA. Ele é acusado de corrupção e fraude.


Segundo seus advogados, Marin não aceitou a extradição, o que obriga a Justiça suíça a abrir um procedimento e dar uma primeira resposta até 13 de agosto. Em sua defesa, os advogados de Marin insistiram que a documentação americana não trazia provas suficientes de um crime que, mesmo que houvesse, eles não seriam reconhecidos pelas leis suíças.

 

 

 

 

Istoé