Cisternas do 'Água para Todos' estão guardadas em Campina Grande; cidade do Vale já recebeu algumas unidades

Cisternas do 'Água para Todos' estão guardadas em Campina Grande; cidade do Vale já recebeu algumas unidades

Mais de mil cisternas de polietileno estão guardadas desde o mês de julho, em uma área reservada no Parque de Exposições de Campina Grande.

 

Estes equipamentos são do Programa 'Água para Todos', do governo federal, que tem como meta a instalação de 4 mil cisternas nas cidades de  São José de Lagoa de Roça, Areial, Cacimba de Dentro, Araruna, Dona Inês, Lagoa, Quixaba, Belém do Brejo Cruz e Igaracy.

No entanto, a ação federal levou, até o momento, apenas 741 aparelhos para dois municípios, tendo sido instalados 120 equipamentos em São Sebastião de Lagoa de Roça e 621 em Igaracy.

 

As cisternas repassadas pelo Departamento Nacional de Obras Contra Seca (Dnocs) devem servir para melhorar o armazenamento de água para mais de 20 mil paraibanos que vivem na zona rural do Estado.

 

A primeira meta do programa, que não foi alcançada, era instalar 1.745 cisternas entre as nove cidades, até o final do mês de agosto. Já a segunda meta era a distribuição dos 2.255 aparelhos restantes, que segundo o Dnocs, sofreu atraso devido a problemas de locomoção da empresa responsável pelo transporte das cisternas. Segundo Cícero Miguel, engenheiro do Dnocs, a logística adotada não foi adequada para que a distribuição acontecesse no tempo certo.

 

Para superar o déficit da primeira meta estabelecida de cisternas na Paraíba e acompanhar o cronograma de instalação dos aparelhos da segunda meta ainda serão instalados 68 em Areial, 648 em Cacimba de Dentro, 635 em Araruna, 180 em Dona Inês, 847 em Lagoa, 138 em Quixaba, e 143 em Belém do Brejo Cruz. Para que o total de aparelhos anunciados pelo programa seja atingido, a unidade do Fome Zero de cada município deverá abrir novos cadastros para que mais moradores da zona rural possam ser beneficiados com esses reservatórios.

 

“A meta era distribuir e instalar 800 cisternas por mês. Como começamos esse processo no final de julho, já deveria ter dado tempo de cumprir a primeira meta. Estamos ajustando o que deu errado na distribuição para ter mais celeridade nesse processo. Ao todo, temos um prazo final até o mês de dezembro e acredito que será possível resolver todas essas questões para atender ao programa que levará mais possibilidade de convivência com a estiagem para essas famílias”, disse Miguel.

 

Os reservatórios que estão sendo instalados na zona rural captam a água da chuva e permitem o armazenamento de até 16 mil litros do mineral, garantindo condições para uma família de quatro a cinco pessoas se manter por até nove meses de estiagem. Ao todo, segundo informações da assessoria do Ministério da Integração Nacional, foram destinados R$ 14 milhões para que essas cisternas de polietileno fossem instaladas. Das duas cidades que receberam os equipamentos até agora, apenas São Sebastião de Lagoa de Roça teve todos os aparelhos instalados. No município de Igaracy ainda faltam ser colocadas 506 cisternas.

Fonte: Givaldo Cavalcanti