Cinco terremotos de até 5,1 graus na escala Richter são registrados no CE

Cinco terremotos de até 5,1 graus na escala Richter são registrados no CE

Cinco tremores de terra foram registrados na costa marítima do Ceará em menos de 40 horas entre o domingo (19) e a segunda-feira (20), de acordo com o Laboratório Sismológico da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LabSis/UFRN). Os cinco tremores ocorreram na cordilheira meso-oceânica, a aproximadamente 1.270 quilômetros ao norte da costa cearense.

Segundo o laboratório, na segunda-feira os terremotos ocorreram às 13h22 e 15h53, como 4,9 e 5,1 graus na escala Richter, respectivamente. Já no domingo, as ocorrências foram registradas às 19h51, 20h06 e 23h56, com 4,9, 4,9 e 4,8 graus na escala Richter, respectivamente. De acordo om os pesquisadores do LabSis, é impossível prever como será a evolução da sismicidade nessa parte da cordilheira meso-oceânica nos próximos dias.

Ainda de acordo com o órgão, os efeitos do tremor não foram percebidos em terra devido à distância até o epicentro do sismo, de mais de 1,2 mil quilômetros.

Escala Richter

Criada em 1935 pelo sismólogo americano Charles F. Richter, integrante do Instituto de Tecnologia da Califórnia, a escala Richter foi desenvolvida para medir a magnitude dos terremotos, que consiste no ato de quantificar a energia liberada no foco do terremoto. A escala é utilizada pelo Laboratório Sismológico da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, que monitores tremores no Nordeste. Em algumas regiões do Nordeste brasileiro, a escala é também conhecida como escala regional.

A escala Richter se inicia no grau zero e é infinita (teoricamente), no entanto, nunca foi registrado um terremoto igual ou superior a 10 graus na escala Richter. Um dos fatores é que ela se baseia num princípio logarítmico, ou seja, um terremoto de magnitude 6, por exemplo, produz efeitos dez vezes maiores que um outro de 5, e assim sucessivamente.


 

G1