Cinco municípios concentram riquezas produzidas na Paraíba

Cinco municípios concentram riquezas produzidas na Paraíba

O ranking de classificação do Produto Interno Bruto (PIB) dos municípios da Paraíba praticamente não se alterou em 2011, com relação ao ano de 2010, quando cinco municípios foram responsáveis pela geração de mais da metade das riquezas produzidas no estado da Paraíba. A informação foi repassada pelo Instituto de Desenvolvimento Municipal e Estadual (Ideme) e pelo IBGE, nessa terça-feira (17), durante a divulgação oficial do indicador, em que os municípios de João Pessoa (1º), Campina Grande (2º), Cabedelo (3º), Santa Rita (4º) e Bayeux (5º) apresentaram os melhores desempenhos, concentrando 57,8% do valor total.A divulgação do relatório sobre as atividades econômicas dos 223 municípios paraibanos calculado numa metodologia uniforme em todo o país aconteceu na sede do IBGE, em João Pessoa, com a participação do superintendente do Ideme, Mauro Nunes; do chefe da Unidade Estadual do IBGE na Paraíba, Aniberto Mendonça; e dos economistas do IBGE, Jorge Souza Alves, e do Ideme, Geraldo Lopes, que explicaram detalhes do estudo, dentre eles, os fatores que contribuem para os desempenhos positivos e negativos das regiões nos setores: Primário (agropecuária, caça, pesca, silvicultura), Secundário (indústria e construção civil) e o Terciário (serviços).


Na oportunidade, foram explorados principalmente a dinâmica econômica dos dois maiores valores do PIB: João Pessoa e Campina Grande, cujo setor Terciário apresentou pequena alteração entre 2010 e 2011. “Campina Grande apresentou um crescimento mais robusto no setor Terciário em relação a João Pessoa, devido a dois grandes polos de produção: o de Tecnologia e o de Couro e Calçados”, esclareceu o superintendente Mauro Nunes, acrescentando que a capital registrou um recuo, passando de 30,6%, em 2010 para 28,5% em 2011. Mesmo assim, Campina permanece como segundo maior centro econômico do Estado, representando 15,1% do valor total da economia; enquanto que João Pessoa lidera com quase 30% (28,5%).

Menores desempenhos - Em contrapartida, os municípios com os menores valores do PIB registrados pelo Ideme e IBGE em 2011 foram: Parari (R$ 10,482 milhões), Quixabá (R$ 10,507 milhões), Areia de Baraúnas (R$ 10,640 milhões), Amparo (R$ 10,929 milhões) e Coxixola (R$ 10,942 milhões). “O que eles têm em comum é o fato de grande parte do Valor Adicionado ser oriundo do Setor Serviços, mais especificamente da Administração Pública”, explicou o economista do IBGE, Jorge Souza Alves. Por conta disso, a participação desse setor no total da riqueza gerada em cada um desses municípios foi superior a 70%, em 2011: Areia de Baraúnas (84,3%), Quixabá (80,3%), Amparo (79,5%), Coxixola (76,5%) e Parari (73,6%).

Além das variações positivas e negativas dos municípios em 2011, o estudo do Ideme e do IBGE sobre o Produto Interno Bruto também traz a distribuição espacial das riquezas do Estado, segundo as suas Regiões Geoadministrativas. Essas e outras informações que servirão de ferramentas no planejamento de políticas públicas voltadas para o desenvolvimento municipal, tanto por pesquisadores quanto para dirigentes de entidades públicas e da sociedade civil organizada, podem ser acessadas no site do Ideme: www.ideme.pb.gov.br.
 

Fonte: ParlamentoPB