Cinco empreendedores paraibanos estão entre os 100 maiores artesãos do Brasil

Cinco empreendedores paraibanos estão entre os 100 maiores artesãos do Brasil

Cinco trabalhos do artesanato paraibano foram selecionados entre os 100 melhores do Brasil. Eles foram escolhidos pelo Prêmio Sebrae Top 100 de Artesanato nesta segunda-feira (8), entre mais de dois mil inscritos em todo o país.  Os vencedores serão reconhecidos em novembro, em uma cerimônia no Rio de Janeiro.

 

Na Paraíba, 84 artesãos se inscreveram na premiação e os escolhidos entre os 100 melhores do país foram: Lenita Fernandes Maia (Gurinhém), Valci Oliveira (Campina Grande), Elizabeth Paz (João Pessoa), Rosineide Gonçalves (João Pessoa – Associação Sereias da Penha) e Maria da Conceição Emiliano (Boa Vista – Cooperativa Artesanal As Cabritas).

 

“Esta premiação é mais uma oportunidade de reconhecimento do nosso artesanato. Nas três últimas edições, a Paraíba já teve 25 trabalhos premiados”, disse a analista técnica do Sebrae Paraíba, Maísa Duarte. Ela explicou que esta é a quarta edição do prêmio que reconhece as 100 melhores unidades de produção artesanal, não somente pela qualidade dos seus produtos, mas também por suas práticas de gestão.

 

As 100 unidades artesanais vencedoras terão o direito de uso do selo "Prêmio Sebrae Top 100 de Artesanato – 4ª edição" por três anos. Além disso, os vencedores terão divulgação de três produtos nos sites do Sebrae Nacional e de sua região, no CD promocional e no catálogo. Os vencedores ainda participarão da Feira “Mãos de Minas” e da Fenearte (PE), além de rodadas de negócios.

 

As melhores unidades produtoras foram escolhidas com base nos critérios de práticas de inovação, qualidade dos produtos, identidade e compromisso cultural, embalagem, condições de trabalho, sustentabilidade ambiental, organização da produção, adequação econômica dos produtos, práticas comerciais, responsabilidade social, planejamento e gestão.

 

Vencedores paraibanos

Lenita Fernandes Maia, da Terra do Sol, da cidade de Gurinhém, foi escolhida por sua peça de tecelagem e trançados com fibras naturais. Já Elizabeth Paz, de João Pessoa, foi reconhecida pelo seu artesanato de objetos de adorno e acessórios de moda. O outro reconhecimento para João Pessoa foi para Rosineide de Oliveira Gonçalves, da Associação de Artesãs Sereias da Penha, que inscreveu um colar produzido com escamas de peixe.

 

Da cidade de Boa Vista, a vencedora foi a artesã Maria da Conceição Emiliano, da Cooperativa Artesanal As Cabritas, com objetos com matérias-primas industrializadas. Já a vencedora de Campina Grande foi Valci Oliveira, na categoria objetos frágeis, com um São João em cerâmica. “Foi o primeiro prêmio que recebi. Fiz minhas primeiras esculturas em 2014 para expor no Salão de Artesanato e agora recebo esse reconhecimento sem igual”, disse Valci.

 

Estímulo à produção artesanal

O Top 100 de Artesanato foi criado em 2006, a partir da necessidade de apontar novas abordagens de estímulo à produção artesanal brasileira. Na sua primeira edição, o prêmio recebeu 585 inscrições. A segunda edição, em 2009, contou com 1.000 inscritos e, na última, em 2011, foram 1.826 inscritos, sendo 90 da Paraíba. Agora, na quarta edição, foram 2.145 inscritos nacionalmente e 84 na Paraíba.

 

 

 

Assessoria