Cientistas inventam óculos inteligentes para pessoas com visão limitada

Cientistas inventam óculos inteligentes para pessoas com visão limitada
Cientistas da Universidade de Oxford, no Reino Unido, apresentaram nesta terça-feira óculos inteligentes desenvolvidos para pessoas com visão muito limitada, com o objetivo de ajudá-las a enxergar melhor o contorno dos objetos do entorno.

Em alguns casos de pacientes com visão próxima à cegueira, os óculos permitiram que eles pudessem ver, pela primeira vez, os seus cães-guia e reconhecer melhor objetos e pessoas. O Real Instituto Nacional de Cegos (RNIB, sigla em Inglês) ressaltou nesta terça-feira que este é um avanço científico "muito importante", pois permitirá que pessoas com pouca visão ou próximas à cegueira tenham mais independência para realizar seus movimentos.

Grandes e chamativos, os óculos possuem uma câmera tridimensional conectada a um computador portátil (colocado no interior de uma mochila) que processa as imagens e as projeta em tempo real nas lentes. O cientista Stephen Hicks, que liderou o estudo, disse que estas lentes permitem ver os obstáculos no caminho para evitar tropeços, e que acredita que em breve seu uso poderá ser estendido. "Todas as pessoas adoram eles. Eles redefinem o quanto podem ver. Enxergam detalhes de rostos, podem ver as próprias mãos", acrescentou Hicks.

A universidade destacou o caso de Lyn Oliver, uma mulher de 70 anos com uma doença ocular degenerativa, conhecida como retinose pigmentar, que a impede de ver bem, mas os óculos a ajudaram a ver pela primeira vez o contorno de objetos com mais clareza. O especialista contou que levou Lyn, com os óculos, a um shopping com o objetivo de avaliar sua experiência. Depois de andar por alguns corredores, Lyn afirmou que conseguia encontrar a porta de saída e ver as formas das mesas dos restaurantes.

"Acho que isto pode ser incrivelmente importante. Pelo que vimos até agora, (os óculos) podem oferecer mais independência a pessoas com visão parcial para que possam sair e levar uma vida normal", acrescentou Hicks.

IG